Entrar



Archive for maio, 2010

Schaefer Yachts realiza evento para capacitação de marinheiros

maio 21st, 2010 by

Em uma excelente iniciativa, a Schaefer Yachts realiza, no dia 26 de maio na Marina Pier 33 um evento para capacitação de marinheiros.

Moradores de Imbé, no Rio Grande do Sul, pescam tainhas no asfalto

maio 20th, 2010 by

Pescadora fará as tainhas pescadas no almoço

Eram três horas desta quarta-feira e a água da chuva atravessava o terreno da casa de uma família de pescadores de Imbé, em direção ao Rio Tramandaí. A chuva que caíra incessante desde a noite de ontem tinha criado outro rio, esse sobre a Avenida Rio Grande.

Ao olhar para a via, o estudante Patrick Rodrigues, 17 anos, avistou uma tainha nadando sobre o asfalto. Ele correu para dentro de casa e buscou uma rede. Logo depois, tinha pescado o peixe.

— Logo em seguida, vi que tinha uma tainha maior ainda — lembrou o jovem.

A mãe dele, a pescadora Claudete de Oliveira Rodrigues, 41 anos, assumiu a missão de pegar a maior. Com uma tarrafa, catou o peixe.

— É a terceira vez que pego um peixe assim. Sempre que chove muito o braço morto transborda — explicou Claudete.

Os peixes terão um destino certo hoje.

— Pretendo dormir um pouco, acordar e fazer de almoço as tainhas fritas — disse a pescadora.

Fonte: ZERO HORA

Veleiro dos Schürmann para na areia

maio 19th, 2010 by


A fúria da natureza não escolhe classe social. Em Jurerê Internacional, passarela dos vips e famosos, no Norte da Ilha de SC, o vendaval deixou um rastro de destruição. Pescadores e outras pessoas que costumam caminhar cedo se assustaram com as cenas. Lanchas, iates de luxo e até o famoso veleiro “Aysso” (foto), com o qual a Família Schürmann realizou expedições pelos oceanos do mundo, foram arremessados à praia.

Segundo Vilfredo Schürmann, o barco estava ancorado em Jurerê Internacional, mas o vento provocou o rompimento do cabo da amarra. Apesar do susto, não houve nenhuma avaria. A embarcação deverá ser rebocada durante a maré alta, por volta das 17h de hoje.

Fonte: ClicRBS

Incrível a cena, depois de duas voltas ao mundo, enfrentar muitas tempestades, acabar encalhando aqui provavelmente por causa de um cabo velho… Isso mostra a precariedade da estrutura náutica na Ilha de Santa catarina, a falta de trapiches adequados para embarcações de maior porte. O Aysso tem que ficar em uma poita em frente a sede oceânica do Iate Clube Veleiros da Ilha pois tem dificuldade, pela altura de seus mastros, em passar por baixo das pontes e ficar no trapiche da sede principal do clube.

Sorte que o Aysso é feito de aço e foi direto para a areia.

Aqui a notícia no site da Família Schürmann, reproduzida abaixo:

Natureza em fúria arrasta veleiro Aysso para a praia em Jurerê

Depois de 26 anos navegando pelos oceanos do mundo estamos vendo e sentindo as mudanças fortes na natureza.

Nossa ancoragem desde que começamos a navegar em 1974, na frente do Iate Clube Veleiros da Ilha, em Jurerê, Florianópolis, sempre foi um abrigo  seguro contra as tempestades.

Mas as mudanças climáticas estão cada vez mais extremas, com tempestades mais violentas, ventos mais devastadores e o mar mais furioso.

Vilfredo estava em Salvador ministrando uma palestra, Heloisa nos Estados Unidos fazendo uma pesquisa do U-513 e David voltava do Festival de Cinema de Cannes. O Aysso estava na poita esperando pela família.

Mas na noite de terça feira, um ciclone extratropical chegou em Santa Catarina, provocando chuva intensa com ventos fortes de 80 km/h e uma forte ressaca que destruiu casas nas praias. Entre 17 horas do dia 18 até 5 horas da madrugada desta quarta-feira, o aeroporto internacional Hercílio Luz registrou sucessivas rajadas variando, em média, de 50 a quase 80 km/ h.

Foram mais de 30 horas consecutivas de chuva e 7 horas de ventania e ressaca .No início da noite as rajadas já chegavam a 102 Km/h em Santa Marta, litoral sul catarinense com ondas de  a cinco metros de altura.

E  o Aysso foi vitima da fúria da natureza: esse vendaval levou o Aysso e mais outros três barcos e os jogou na praia.

E nosso veleiro provou outra vez que faz jus ao significado do seu nome: forte e corajoso. Está esperando a maré subir às 17h de hoje, quarta, para voltar ao mar e continuar a navegar.

Créditos: Todd Southgate

Marina Pier 33 após as chuvas

maio 19th, 2010 by

De acordo com Ernando Fagundes, administrador da marina, houve somente acúmulo se sujeiras em frente aos flutuantes e a correnteza no rio está muito forte. Apesar de várias ruas alagadas no município, não houve estragos na marina.

A limpeza nos flutuantes já foi feita e já está tudo em ordem.

E aguardando a Exponáutica 2010!

Florianópolis decreta situação de emergência por causa da chuva em Santa Catarina

maio 19th, 2010 by

Pelo menos 43 municípios registraram estragos provocados por enxurrada, vendaval ou erosão.

A chuva que prejudica Santa Catarina desde o início da semana passada deixou 30 municípios em situação de emergência. A última cidade a enviar o decreto foi Florianópolis, que está com 1.803 pessoas afetadas por erosões provocados pelo avanço do mar no município.

O número de cidades que registraram estragos provocados por enxurrada, vendaval ou erosão chega a 43. Criciúma foi a cidade que teve o maior número de atingidos: 101 mil, e que também está em situação de emergência.

No Estado, o número de pessoas prejudicadas desde terça-feira, 11, passa de 266 mil, sendo que 3.770 estão desalojadas e 415 desabrigadas. Uma pessoa permanece desaparecida em Anitápolis.

Madrugada

Nesta madrugada, a Grande Florianópolis foi a região mais atingida no Estado pelo temporal. Em Palhoça, o bairro mais afetado, pelo menos 300 pessoas estão desabrigadas.

Em Itajaí, no Litoral Norte, 1,2 mil pessoas foram atingidas por enxurrada. Cerca de 35 estão desalojadas e 20 desabrigadas.

DIARIO.COM.BR

Florianópolis decide decretar emergência por causa da ressaca

maio 18th, 2010 by

Mar avança e ameaça casas na Praia da Armação do Pântano do Sul.
Em todo o estado, chuva causa prejuízo em 42 municípios.

Do G1, em São Paulo

Praia da Armação do Pântano do Sul, em Florianópolis
Erosão na Praia da Armação do Pântano do Sul
(Foto: Tayana Dacorregio/Divulgação)

A Prefeitura de Florianópolis decidiu, na tarde de segunda-feira (17), decretar situação de emergência por causa da ressaca e da erosão na Praia da Armação do Pântano do Sul. Segundo o diretor da Defesa Civil municipal, Maximo Porto Selene, o documento será encaminhado à Defesa Civil estadual para homologação e entra em vigor depois da publicação no “Diário Oficial”.

“Se o mar avançar mais dez metros, as casas da comunidade serão invadidas pela água”, disse ele ao G1. “No decorrer de anos, a praia veio sendo subtraída, mas nada que fosse alarmante. Só que, de repente, em dois meses, a faixa de areia sumiu e a situação se agravou.”

Selene afirma que houve uma mudança na corrente marinha e as ressacas estão sendo contínuas. Por isso, a Defesa Civil está monitorando a orla.

Além das ondas fortes, as chuvas têm causado prejuízo em Santa Catarina. Desde a semana passada, 42 municípios relataram à Defesa Civil estadual danos causados por enxurradas e deslizamentos. Vinte e seis decretaram situação de emergência até a manhã desta terça-feira (18).

Fonte: Globo.com

Quadrimestre foi o mais quente já registrado, afirma agência americana

maio 17th, 2010 by

Relatório da Noaa, que monitora oceanos e atmosfera, é preliminar.

Calor em terra e na água foi 0,69°C maior que a média do século XX.

Do G1, em São Paulo

Pontos vermelhos mais pronunciados indicam altas maiores de  temperatura

Pontos vermelhos mais pronunciados indicam altas maiores de temperatura em relação à média; os azuis indicam temperaturas inferiores à média
(crédito: Noaa)

O período entre janeiro e abril de 2010 foi o mais quente já registrado, informa relatório da agência americana para oceanos e atmosfera (Noaa, na sigla em inglês) divulgado nesta segunda-feira (17). Combinando as temperaturas nas superfícies terrestres e marítimas, o resultado do quadrimestre é 13,3°C. Isso é 0,69°C acima da média do século passado.

O mês passado foi o 34º abril consecutivo com temperaturas em terra e nos oceanos superiores à média do século XX. Também leva o título de abril mais quente da história, com 14,5°C na média continentes/oceanos, 0,76°C acima da média do século passado (13,7°C).

Isoladamente considerada, a temperatura na superfície dos oceanos em abril também foi recorde. Levando em conta só o calor na superfície terrestre, abril de 2010 foi o 3º mais quente da história.

Os dados são preliminares, ressalta o texto da Noaa.

Fonte: globo.com

Não é por acaso que a temperatura da água do mar esteve tão alta nesse verão, pelo menos aqui em Santa Catarina. Em relação ao verão passado (2008/2009) 2 a 3 graus mais alta, prejudicando inclusive as criações de ostras e mariscos.

Outro efeito sentido foi o aumento do número de águas-vivas nas praias, ocasionando vários encontros acidentais…

O aquecimento global é um fato, pode não ser causado pelo homem, pode ser um ciclo natural do planeta, mas os efeitos são iguais.

Boa semana a todos!


Defesa Civil alerta para temporais e ressaca no mar em SC

maio 15th, 2010 by

A população de Santa Catarina, principalmente quem vive em áreas de risco, deve estar alerta para a chegada de uma nova frente fria ao Estado a partir de domingo. Segundo o Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia (Ciram), o tempo voltará a mudar neste domingo, provocando pancadas isoladas de chuva que deverão se intensificar na segunda e na terça-feira, com o risco de temporal com rajadas fortes de vento e novos alagamentos, principalmente na região oeste do Estado, além de ressacas no mar.

De acordo com a Defesa Civil estadual, a situação no Estado neste sábado é tranquila e as chuvas que castigaram a região na última semana deram uma trégua. Contudo, funcionários do órgão estão percorrendo as áreas mais atingidas pelas enxurradas e vendavais para fazer um levantamento dos prejuízos e do impacto causado à população, com base no qual será montado um plano de auxílio. A hipótese de outras cidades decretarem situação de emergência ainda não está descartada.

Até o início da noite de sexta-feira, 24 cidades catarinenses já haviam decretado situação de emergência e, segundo a Defesa Civil, mais de 266 mil pessoas tinham sido afetadas pelas chuvas. Além de 3.742 pessoas desalojadas e 415 desabrigadas, 26 ficaram feridas. Na cidade de Anitápolis, região metropolitana de Florianópolis, um homem continua desaparecido.

Em alerta desde o último dia 2, a Defesa Civil chama a atenção para que as pessoas observem qualquer movimento de terra ou de rochas, bem como a inclinação de postes ou árvores próximos às residências. Caso note qualquer dessas anormalidades, as pessoas devem deixar suas casas e acionar a Defesa Civil ou o Corpo de Bombeiros, pelos números 199 ou 193.

No caso de alagamentos, a população deve evitar contato com as águas e não dirigir em lugares alagados. Se houver granizo, é aconselhável que as pessoas se protejam em lugares com boas coberturas, além de fechar janelas e portas, e não manusear nenhum equipamento elétrico ou telefone devido aos raios e relâmpagos.

Fonte: terra.com.br

Nível do mar na costa brasileira sobe quatro milímetros por ano

maio 14th, 2010 by

O nível das águas do oceano Atlântico, que banha toda a costa brasileira, está aumentando 4 milímetros por ano. Parece pouco? Pois não é. São 40 centímetros em um século.

O cálculo é feito com base em dados coletados em portos ao longo da costa brasileira pelo Laboratório de Marés e Processos Temporais Oceânicos (Maptolab) do Instituto Oceanográfico (IO) da Universidade de São Paulo (USP).

A equipe do laboratório investiga as variações no nível do mar no litoral brasileiro. A série de medições começou em 1980.

As análises dos dados são feitas por médias de variações diárias, médias sazonais e médias anuais do nível do mar, que permitem estimar a variação local de longo prazo.

É um cálculo complexo, mas muito preciso. As medições do nível do mar dependem de um conjunto de variáveis, como:

– a variação do volume de água doce presente no mar decorrente do degelo;

– a variação da salinidade da água;

– a variação de temperatura decorrente do aquecimento global;

– a variação vertical da crosta em relação ao centro da Terra;

– a variação devido aos ventos e outros fenômenos atmosféricos;

– a variação oceanográfica decorrente das ondas e correntes oceânicas;

– a variação astronômica, devido ao Sol e a Lua (marés) e o posicionamento das órbitas dos planetas (causador das Glaciações) em relação à Terra.

As medições também mostram um movimento de afundamento vertical da crosta na ordem de 0,11 cm por ano. Isso faz com que o nível do mar suba em relação à crosta a 0,38 cm por ano.

“A variação de 0,38 cm por ano é preocupante e ameaça as praias, talvez, de toda a costa brasileira”, explica o professor Afranio Rubens de Mesquita, pesquisador do Maptolab.

Outras séries de medições de nível do mar ao longo do litoral brasileiro indicam a mesma tendência de elevação de uma média de 40 cm por século, ou 4 mm por ano, que é mais evidente a partir dos anos 1960.

Fonte: ClicRBS

Exponáutica 2010

maio 13th, 2010 by