Entrar



Archive for junho, 2010

Começa temporada de observação da baleia franca em Santa Catarina

junho 21st, 2010 by

Com o inverno, os animais migram para o litoral catarinense de junho a novembro

Área de concentração das baleias no Estado está entre o Sul da da Ilha de Santa Catarina e o Balneário Rincão, em Içara

Começou a temporada de observação da baleia franca em Santa Catarina. Com o inverno, as visitantes de até 18 metros de comprimento migram para o litoral catarinense, onde permanecem até novembro.

As baleias saem do Polo Sul e chegam a Santa Catarina a partir de junho para acasalar, dar à luz e amamentar seu filhotes.

Segundo a diretora de pesquisa da ONG Projeto Baleia Franca (PBF), Karina Groch, a expectativa é de que pelo menos 114 baleias sejam avistadas no litoral catarinense nesta temporada. Ela afirma ainda que a área de concentração das visitantes está entre o Sul da da Ilha de Santa Catarina e o Balneário Rincão, em Içara, Sul do Estado.

As baías preferidas das baleias francas são a Gamboa, em Garopaba, Ibiraquera, Ribanceira e Itapirubá Norte, em Imbituba, e algumas enseadas do Cabo de Santa Marta, em Laguna. De acordo com a assessoria do PBF, a preferência varia de acordo com o ano e ao longo da temporada.

Cuidados

A aproximação das embarcações devem respeitar uma Portaria do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que determina as principais regras e cuidados com a espécie:

— Para se aproximar, o motor da embarcação tem que ser desligado ou mantido em neutro a, pelo menos, 100 metros de distância.

— A embarcação nunca deve se colocar entre uma mãe e seu filhote.

— A aproximação tem que ser lateral, ou seja, não se pode cortar o caminho de uma baleia.

— Se o animal se afastar, não se pode persegui-lo.

— Para se afastar após uma aproximação, a embarcação só pode religar ou reengrenar o motor se as baleias estiverem claramente visiveis, e a pelo menos 50 metros de distância.

Mais informações sobre a baleia franca podem ser acessadas no site da ONG.

Divulgação

A ONG pretende aproveitar a época para divulgar informações sobre a espécie, esclarecendo curiosidades e conscientizando sobre a necessidade de conservação da baleia.

Há 28 anos, o projeto da ONG analisa os dados, publica trabalhos científicos e realiza atividades de educação ambiental e orientação às embarcações turistas durante a temporada de observação.

DIARIO.COM.BR

Sea Shepherd Liberta 800 atuns-azul de gaiolas flutuantes na Líbia

junho 21st, 2010 by

19 junho 2010

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do ISSB

Relatado pelo Capitão Paul Watson, do Steve Irwin

Steve Irwin é abalroado por embarcação de pesca;
Sea Shepherd repele agressão por parte dos pescadores;
Marinha da Líbia em perseguição ao Steve Irwin

Operação Fúria Azul: dez dias de patrulha no Mediterrâneo
Quinta-feira, 17 de junho, 2010
Localização: largo da costa da Líbia

br2

O helicóptero da Sea Shepherd, durante vôo de reconhecimento esta manhã, encontrou dois navios de pesca. Um deles estava transferindo atum-azul em uma das duas redes que estavam sendo rebocadas pela outra embarcação.

As embarcações de pesca do atum-azul estavam em águas da Líbia e a cerca de 42 milhas da costa do Norte de África.

Às 13:00 horas, o Steve Irwin se dirigiu ao navio italiano Cesare Rustico, que estava rebocando duas gaiolas; uma continha cerca de 800 peixes (a outra estava vazia).

O capitão do Cesare Rustico disse quando questionado que o atum foi capturado na manhã do dia 14 pelo navio líbio Tagreft. Quando respondemos que o número de atum na gaiola excedia a cota do Tagreft, o capitão disse que a gaiola de atum também incluía atum de outros sete navios líbios. Todos os peixes foram capturados no dia 14, o último dia legal, de acordo com o capitão. Os outros sete navios eram o Khandheel 2, Hanibal, Ozul 2, Almadina, Morina e Khaleej Eltahadi, e um outro que não tinha nome. O problema com essa explicação era que havíamos observado o Khandheel 2 nos dias 13 e 14 junho, e ele não estava pescando. Além disso, as condições meteorológicas para aqueles dois dias tornaram a pesca praticamente impossível. As condições extremamente difíceis, juntamente com a posição das gaiolas há apenas 40 milhas ao largo da costa da Líbia, quando deveriam ter sido movidas a 25 milhas por dia, sugeriu-nos que os peixes foram capturados recentemente, nos últimos três dias no máximo.

br1

A afirmação de que todas as capturas foram feitas no dia 14 soou muito conveniente, por isso pedi para examinar o peixe. Recusaram. Eu, então, coloquei a proa do Steve Irwin próxima da gaiola para que pudesse examinar da proa.

De repente, o navio maltês Rosaria Tuna bateu no Steve Irwin a bombordo e foi deslizando, enquanto um pescador tentou violentamente fisgar os tripulantes da Sea Shepherd com uma vara longa e afiada.

A tripulação do Steve Irwin retaliou com 8 litros de manteiga podre, forçando o navio de pesca a recuar e permanecer distante.

Às 15:30 horas, os dois navios de pesca circularam suas gaiolas defensivamente e o navio da Sea Shepherd Steve Irwin enviou sinais para notificar a ICCAT (Comissão Internacional para a Conservação do Atum do Atlântico) de possíveis violações. Eles não responderam.

O Jean Charcot, o navio de inspeção da ICCAT, não iria se aventurar a 33 graus ao sul e 40 minutos a norte.

Com dois navios de pesca com uma tripulação italiana irritada, havia riscos para entrar na água e avaliar a pesca de atum. Mas, se a captura fosse ilegal, os mergulhadores Sea Shepherd sabiam que precisariam cortar as redes e libertar o atum-azul.

Às vezes é necessário fazer o que precisa ser feito, apesar dos riscos. O risco de perder o atum-azul enquanto uma espécie é muito mais importante do que os riscos para as nossas próprias vidas e nossa liberdade.

E assim decidimos libertar o atum.

Às 16:00 horas, uma equipe de mergulho de cinco pessoas entrou em uma das duas gaiolas que estavam sendo rebocadas pelo navio de pesca italiano Cesare Rustico.

Como o Steve Irwin estava distante do Cesare Rustico e do navio Rosaria Tuna, a tripulação da Sea Shepherd mergulhou até a gaiola de pesca para identificar o tamanho, a idade e a quantidade de atum azul que estavam na rede. Uma vez que ficou claro que a gaiola estava abarrotada e que havia um percentual alto de atuns jovens, os mergulhadores da Sea Shepherd libertaram os cerca de 800 atuns.

É a nossa posição de que havia um grande número de atuns jovens dentre os que foram libertados, e que os peixes foram capturados após o encerramento oficial da temporada. É também a nossa posição de que o peixe que libertamos ultrapassava a cota.

Uma grande porcentagem do atum eram jovens e devido à posição das gaiolas e ao fato de que toda a pesca do atum azul do Mediterrâneo terminou à meia-noite de 14 de junho, a Sea Shepherd está convencida de que estes peixes foram capturado após 14 de junho e, portanto, a Sea Shepherd mantém a posição de que esta operação por estes dois navios era ilegal.*

A Sea Shepherd Conservation Society não é uma organização de protesto. A Sea Shepherd é uma organização anti-caça e estes dois navios são caçadores.

O cinegrafista da Sea Shepherd filmou a libertação dos peixes, e os mergulhadores confirmaram que todos os cerca de 800 peixes foram libertados.

“Eles dispararam para fora da rede, como cavalos de corrida”, disse o cinegrafista canadense Simon Ager.

Depois de libertar o atum azul, o Steve Irwin rumou ao norte, para fora das águas da Líbia. A mídia maltesa informou que  a Líbia enviou navios de guerra para perseguir o Steve Irwin.

Há reclamações na imprensa maltesa de que um pescador de atum-azul foi ferido por nossas ações. Ninguém no Steve Irwin, no helicóptero, ou no Delta viu nenhum incidente em que um pescador foi ferido. Vimos um homem mergulhar na água do lado da gaiola. Então, nós vimos ele se levantar e dar-nos um rude sinal de braço italiano. Outro pescador cortou a tripulação com um gancho que estava na ponta de uma vara longa, e um dos navios bateu em nosso navio.

Fonte: Sea Shepherd

OSX fará três audiências públicas para falar sobre projeto de estaleiro em Biguaçu

junho 21st, 2010 by

Encontros, que terão a participação da sociedade, ocorrerão em três cidades

ICMBio diz que estaleiro provocará problemas ambientais    Foto: Hermínio Nunes

A chance de questionar e tirar dúvidas sobre a instalação de um estaleiro em Biguaçu, na Grande Florianópolis, acontecerá em três audiências públicas previstas para os dias 20, 21 e 22 julho. A OSX, empresa que pretende fazer o investimento, foi autorizada pela Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) a promover o encontro.

Conforme um comunicado da OSX, divulgado nesta segunda-feira, as audiências devem acontecer em Biguaçu, Governador Celso Ramos e Florianópolis.

Na última semana, depois de estudar o novo relatório encaminhado pela OSX, com informações complementares sobre o a instalação do estaleiro em Biguaçu, o Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBio) manteve seu parecer inicial, contrário ao empreendimento.

Nesta segunda-feira, a OSX apresenta recurso à ICMBio, em Brasília. A empresa defende que a decisão regional não tem caráter definitivo e não responde tecnicamente aos estudos ambientais apresentados pela empresa.

A regional Sul do ICMBio se manifesta contrária à escolha do local em função dos problemas que o empreendimento vai causar para as três unidades de conservação: a Área de Proteção Ambiental do Anhatomirim, Estação Ecológica de Carijós e Reserva Biológica Marinha do Arvoredo.

DIARIO.COM.BR

Agora o estado e os municípios terão a chance de discutir se realmente querem o desenvolvimento a qualquer custo. Com certeza o estaleiro ajudaria a desenvolver economicamente a região, mas é bom lembrar que o local escolhido para a implementação do estaleiro é cercado de áreas de preservação e reservas ecológicas. E que são ecossistemas frágeis e únicos no estado. É hora de ouvir a população e saber o que pensam a respeito.

Procurando Nemo – e se fosse no Golfo do México?

junho 19th, 2010 by

E se o Nemo fosse parar no Golfo do México, será que alguém ia conseguir achar ele??

Achei aqui. Lá tem mais imagens!

1.152 dias no mar

junho 19th, 2010 by

Em uma escuna 70 pés/21,3m, o artista e artesão americano Reid Stowe (58) completou nesta quinta 1.152 dias no mar. Sua chegada a Nova York/EUA, bateu o recorde da viagem mais longa no mar (o recorde era de um barco norueguês com 1.067 dias). Quando partiu com a sua escuna Anne, em 21 de abril de 2007, sua intenção era ficar longe da terra por 1000 dias. Parte da viagem foi acompanhada por Soanya Ahmad (23), que depois de 10 meses passou a sofrer de fortes enjôos. Estava grávida. Ela teve então que abandonar a viagem. “A parte mais difícil da viagem foi dizer adeus a Ahmad” disse ele. Ontem (17/06), assim que pisou em terra, foi conhecer o seu filho de 23 meses. Dificuldades como a colisão com um cargueiro, velas rasgadas e os cuidados com a horta (embarcada) e coleta da água da chuva, puseram-no a prova nestes três anos. Para o meio náutico mais ortodoxo, o navegador é um escândalo. Adepto da yoga, costuma fazer com que as suas rotas criem desenhos sobre as carta (a última foi uma tartaruga). No fórum Sailing Anarchy, um membro escreveu: “Reid é um perigo para a navegação” e outro perguntou “Ele ainda está morto?” Para uns, não passa de um louco, para outros, um gênio. Isso vai da visão de cada um. Fontes: Blog 1000days (com galeria de fotos), horsesmouth (fonte da imagem), Wikipédia, Forum Sailing Anarchy, NY Times e The Guardian.”

Peguei lá no Conjuminando, que tem sempre todas as novidades do meio náutico!!


Exponautica 2010 – falta 1 semana!

junho 18th, 2010 by

A Exponautica 2010 começa em uma semana, na Marina Pier 33, em Biguaçu.

No dia 24 de junho a abertura para autoridades, expositores e convidados às 16:00hs, e no dia 25 abre para o público em geral, das 10:00 as 22:30hs. O encerramento é no dia 27 de junho.

Este ano o espaço físico cresceu em 30%, assim como também cresceu a procura dos estaleiros e expositores por um espaço na feira.

Marina Pier 33
Marina Pier 33
Lancha Ararê

“A Exponautica é um evento voltado para o mercado náutico nacional com o objetivo de estimular o turismo e fortalecer o segmento no Brasil, com foco na região Sul do País.

Em sua 2ª edição, o evento já faz parte do calendário oficial de eventos do Município de Biguaçu e do Estado de Santa Catarina.

Com a finalidade de reunir as belezas naturais do município de Biguaçu e o alto padrão de qualidade do mercado náutico, a Exponautica 2010 receberá milhares de pessoas ligadas ao selecionado público que tem grande interesse em conhecer novos produtos e serviços oferecidos para esse setor.

Assim como já acontece em outras feiras do segmento que movimentam milhões de dólares em todo o mundo, a Exponautica 2010 contribuirá para o fortalecimento do turismo local e dará importante destaque à região de Biguaçu no calendário nacional náutico.

O evento acontece no período de baixa temporada e visa estimular o comércio e o turismo da grande Florianópolis, fortalecer estaleiros e fabricantes do segmento náutico e empresas ligadas ao setor, como
a moveleira, de eletrodomésticos, motores, decoração entre outras.

A Exponautica 2010 será realizada na Marina Pier 33, localizada nas margens do Rio Biguaçu, em exclusiva posição geográfica, em área de 15.000m², com 4.500m² de área coberta, com toda a infraestrutura necessária para atender às necessidades dos expositores e do público visitante.

A Marina Pier 33 oferece ao mercado um novo espaço para realização de grandes eventos na região Sul do Brasil, com estrutura planejada e moderna, preparada para receber exposições náuticas e outros eventos.

O objetivo principal da Exponautica é criar um evento diferenciado e exclusivo que, além de apresentar equipamentos do setor náutico, irá oferecer ao público atividades de lazer e entretenimento de alto padrão, com shows e exposições de carros, motos importadas,
aviões, entre os muitos lançamentos.

A praça de alimentação será um dos pontos fortes do evento, com cardápio gastronômico exclusivamente elaborado com pratos à base de frutos do mar.

A Exponautica 2010 quer contribuir para o crescimento do mercado náutico brasileiro e incluir Santa Catarina no cenário nacional.

Através dessa iniciativa, e com o apoio do governo estadual, a Exponautica 2010 visa atrair ainda mais turistas para o belo Estado de Santa Catarina.”

Navio papa-óleo alemão pode ajudar no Golfo

junho 18th, 2010 by

O navio papa-óleo alemão, especial para vazamentos no mar, pode ajudar no acidente com a plataforma da BP no Golfo do México. O barco, criado pela marinha alemã, pode limpar 140 metros cúbicos de água do mar por hora. Ele navega como um barco comum até chegar à borda da mancha e óleo no mar. Aí se divide em dois e abre como a boca de um Pac Man.

Já que a BP não sabe ainda como estancar o vazamento no fundo do mar e gasta US$ 33 milhões por dia para reduzir os danos, o navio alemão pode ajudar.

Fonte: Época

Arremesso de co-piloto

junho 17th, 2010 by

Aconteceu durante uma corrida de barcos em Valetta, na Ilha de Malta.

Os britânicos Shelley Jory-Leigh e Patrick Huybreghts participavam da corrida quando Shelley, que pilotava, atingiu uma grande onda com a lateral do barco, fazendo com que seu co-piloto (Patrick) fosse catapultado para fora a 140Km/h.

Por sorte ele não foi atropelado pelas outras embarcações que vinham em seguida.

Enquanto isso, no Golfo do México

junho 17th, 2010 by

Sei que é chato falar sempre do mesmo assunto, mas não dá para não falar.

O Presidente Obama disse, em discurso, que os Estados Unidos irão combater o derramamento com “tudo o que tem” e pelo tempo que for necessário, e que farão com que a BP pague por todos os danos causados pela empresa. Disse também que o governo irá usar todos os seus recursos para ajudar a Costa do Golfo e a população que ali vive e dela depende a superar a tragédia.

Muitas palavras bonitas e cheias de efeito, mas enquanto isso, o óleo continua vazando e matando milhares de animais.

Na minha opinião, as fotos falam mais alto…

Óleo junto a costa da Louisiana – Barataria Bay
Óleo na água, próximo a costa da Louisiana
Óleo chegando em uma praia do Alabama
Pelicano-marrom sendo limpo em Fort Jackson, na Louisiana – vários não resistem
Pena que os animais não sabem ler – Alabama
Até os voluntários ficam presos no óleo

As fotos são do “The big Picture“. No site tem mais, algumas muito tristes de animais que não foram salvos a tempo e que não quis colocar aqui.

Hoje também circulou a notícia de um vídeo feito por uma tartaruga marinha, na verdade esse vídeo já está na internet desde o mês passado e a história é a seguinte:

Um sujeito foi mergulhar em Aruba, em novembro de 2009 e perdeu sua máquina durante o mergulho. Em janeiro de 2010 uma tartaruga achou a máquina nas proximidades de Honduras, a confundiu com comida e tentou comê-la. Fazendo isso, a máquina ligou e registrou a tartaruga nadando e tentando provavelmente se livrar da máquina.

A máquina foi achada em Key West, na Flórida. Ficou vagando pelo mar por 6 meses.

Bom, tirando o fato de que a caixa-estanque (Ikelite) e a máquina (Nikon Coolpix L18) são de excelente qualidade, temos que ver o perigo que representa tudo o que é jogado no mar, pois a tartaruga teve sorte que conseguiu se livrar da câmera, que ficou presa nela por no mínimo 5 minutos.

Muitas tartarugas morrem todos os anos por ingerirem sacos plásticos, que confundem com águas-vivas, que fazem parte de sua alimentação.

Mas isso é história para outro dia..

Praia de Laranjeiras

junho 15th, 2010 by

Fica ao lado de Balneário Camboriú, em Santa Catarina. É uma das mais belas praias do estado, de águas limpas e calmas.

Antes da construção da Rodovia Interpraias e do Parque Unipraias, era de difícil acesso e pouco conhecida. Hoje é super explorada, com lojas e restaurantes, e um trapiche que serve de apoio para barcos que fazem passeios pela região.

Os costões são ótimos pontos para um rápido mergulho com snorkel, e ainda pode se ver uma boa variedade de peixes, mas que está diminuindo a cada ano.

O acesso pode ser feito pela rodovia ou pelos teleféricos que fazem o trajeto desde a Barra Sul de Balneário Camboriú, passando pelo parque.

Os mais privilegiados podem acessar a praia pelo mar (sempre a melhor forma), que oferece ótimas condições de ancoragem e um ótimo abrigo para ventos do sul. Além disso, fica a poucos minutos de navegação da Tedesco Marina.

Fotos: Ararê
Praia de Laranjeiras, do lado esquerdo Balneário Camboriú, do lado direito Taquaras
Praia de Laranjeiras
Restaurantes e lojas
Águas limpas e calmas
A praia é muito procurada por famílias com crianças pequenas
Os costões são ótimos para mergulhar