Entrar



Archive for junho, 2010

Bandeira do Brasil

junho 14th, 2010 by

Quem navega está acostumado, pois ela é presença obrigatória em todos os barcos que navegam no Brasil, mas em época de copa do mundo, as bandeiras estão por todas as partes.

Nos carros, nas casas, nas roupas, em lojas e supermercados. Parece que somente durante 1 mês a cada 4 anos nos tornamos patriotas. Mas de qualquer forma é bom vê-las por aí..

Lembro quando encomendei meu barco, a primeira coisa que comprei para ele foi a bandeira, e foi a bandeira a primeira coisa que coloquei nele quando o recebi, antes mesmo de embarcar. E ela segue no mesmo lugar desde então, já meio desbotada pelo sol e pelo sal, mas continua linda!

Amanhã é dia de jogo do Brasil, dia de sair com a bandeira!

Nossa bela bandeira

Praia do Tinguá

junho 14th, 2010 by

Localizada na baía norte da Ilha de Santa Catarina e pertencente ao município de Governador Celso Ramos, em Santa Catarina, é um destino certo para lanchas e veleiros da região de Florianópolis, e mesmo em dias de mar agitado e com muito vento, a navegação até ela é relativamente tranquila. Fica perto de Jurerê Internacional e da maioria das marinas da região.

Baía norte da Ilha de Santa Catarina

Suas águas são limpas, calmas e abrigadas, principalmente do vento nordeste, que sopra muito no verão. É um excelente ponto de ancoragem, bom para nadar e ótima para passar a noite, desde que não sopre o vento sul. Anônimos e famosos dividem o espaço na água, às vezes perto demais… Nos finais de semana são tantos barcos que alguns chegam a se encostar, e parece que todos querem largar âncora no mesmo lugar!

Praia do Tinguá – ótimo abrigo e boa ancoragem
Costão leste na praia do Tinguá
Criação de ostras com o Forte de São José da Ponta Grossa ao fundo, em Jurerê Internacional
Praia do Tinguá – no verão sempre cheia

Na praia ao lado, onde fica uma simpática comunidade de pescadores, dois restaurantes fornecem comida e bebida, os “garçons” vem de bote até os barcos ancorados, anotam os pedidos e em alguns minutos, voltam com a comida quentinha ou com a bebida gelada. Se faltar carvão para o churrasco a bordo, eles também fornecem!

Praia do Tinguá

Mas o bom mesmo é ir fora da temporada, a praia fica vazia, e a única companhia são as gaivotas pedindo comida!

Praia do Tinguá – as gaivotas sempre presentes
Elas se aproximam do barco, mas não muito
Fotos: Ararê

Maré de azar no Golfo do México

junho 13th, 2010 by
Golfo do México (Google Earth)

Como se não bastasse ser palco do maior desastre ambiental da história dos Estados Unidos, o Golfo do México continua em sua maré de azar. Na última sexta-feira, 11 de junho, dois acidentes potencialmente perigosos aconteceram por lá.

Um navio com 3 mil toneladas de soda cáustica procedente de Houston, no Texas e com destino a cidade de Veracruz, no México, encalhou em um recife próximo ao porto de Tuxpan. Não foi relatado nenhum vazamento, mas essa quantidade de soda cáustica pode causar mais um desastre ambiental na região.

E na mesma região do vazamento de petróleo, um navio de suprimentos colidiu com a abertura de um poço de gás natural, causando um vazamento de gás e intoxicando 36 tripulantes do navio causador do acidente. O navio estava tentando atracar na plataforma, que fica na costa da Lousiana, para entregar suprimentos para os trabalhadores da instalação. A Guarda Costeira dos Estados Unidos está investigando o acidente.

Enquanto isso, a mancha de óleo atinge os canais no litoral noroeste da Flórida. As famosas praias de Pensacola e Perdido Key já foram atingidas, assim como a fronteira com o estado do Alabama. O movimento nos hotéis da região já caíram 60%.

Óleo chega aos canais da Flórida (Foto: AP)

Hoje a noite (13 de junho) termina o prazo dado à British Petroleum pela Guarda Costeira Americana para apresentar um plano adicional de contenção do vazamento de óleo. A companhia afirmou que está buscando novas possibilidades e soluções para conter o vazamento.

Uma revisão feita na semana passada pela agência geológica americana estima que no início do mês o volume do vazamento pode ter chegado a 40 mil barris diários, o dobro do anunciado anteriormente. No dia 3 de junho foi colocado um funil na tubulação rompida para tentar recolher parte desse óleo. A BP afirma que está recolhendo atualmente 15 mil barris por dia.

Ontem, o presidente Barack Obama disse ao premiê britânico, David Cameron, que a petrolífera BP vai precisar “pagar a conta” do desastre ambiental.

Óleo na superfície do mar (Foto: AP)
Não precisa legenda (Foto: AP)
Equipe de limpeza na costa da Flórida (Foto: AP)
Caminhando para o futuro (Foto: AP)

Dia dos Namorados

junho 12th, 2010 by

Feliz dia dos Namorados!


Foto: Ararê

100 anos de Jacques-Yves Cousteau

junho 11th, 2010 by

No dia em que completaria 100 anos a mensagem do Comandante Cousteau está mais atual do que nunca…

Fica aqui nossa homenagem ao homem que mais lutou pela conservação dos oceanos e da natureza em geral…

Comandante Jacques-Yves Cousteau (11/06/1910 – 25/06/1997)

O Mundo Silencioso, Palma de Ouro no Festival de Cannes em 1956, foi um de seus primeiros filmes a fazer sucesso mundial. Aqui um vídeo que fala sobre o filme.

Carta aos Mergulhadores
“Como todos os seres humanos, nascemos no coração da mãe-terra. Temos braços e pernas, respiramos oxigênio que entra em pequenos pulmões. Passamos grande parte da nossa vida na posição vertical que nos dá uma maior autonomia e conforto na terra. Vistos superficialmente somos iguais a todos os seres humanos.
Mas analisando um pouco mais fundo, alguma coisa nos faz diferente. Nascemos com os olhos acostumados ao azul das águas. Temos um corpo que anseia pelo braço do mar e, um pulmão que aceita grandes privações de ar apenas para prolongar a nossa vida no mundo azul.
Somos homens e mulheres de espírito inquieto. Buscamos na nossa vida mais do que foi dado. Passamos por grandes provas para nos aproximar dos peixes. Transformamos nossos pés em grandes nadadeiras, seguramos o calor do nosso corpo com peles falsas e chegamos até a levar um novo pulmão em nossas costas. E tudo isto para quê? Para podermos satisfazer uma paixão, um sonho. Porque nós, algum dia, de alguma forma, fomos apresentados a um mundo novo. Um mundo de silêncio, calma, mistério, respeito e amizade. E esta calma e silêncio nos fizeram esquecer da bagunça e agitação do nosso mundo natal. O mistério envolveu nosso coração sedento de aventura.
O respeito que aprendemos a ter pelos verdadeiros habitantes desse mundo. Respeito esse que, só depois de ter sentido a inocência de um peixe, a inteligência de um golfinho, a majestade de uma baleia ou mesmo a força de um tubarão, podemos compreender.
E a amizade. Quando vamos até o fundo do mar, descobrimos que ali jamais poderíamos viver sozinhos. Então levamos mais alguém. E esta pessoa, chamada de dupla, companheiro ou simplesmente amigo, passa a ser importante para nós. Porque, além de poder salvar nossa vida, passa a compartilhar tudo que vemos e sentimos. E em duplas, passamos a ter equipes, e estas passam a ser cada vez maiores e mais unidas. E assim entendemos que somos todos velhos amigos mesmo que não nos conheçamos. E esse elo que nos une é maior que todos os outros que já encontramos
E isso faz com que nós mais do que amigos, sejamos irmãos. Faz de nós, mergulhadores.”
Jacques Yves Cousteau

Velejadora Abby Sunderland é encontrada viva!

junho 11th, 2010 by

Um Airbus enviado à região do desaparecimento informou que fez contato visual e por rádio com a adolescente de 16 anos. O veleiro de nome Wild Eye está sem o mastro mas está em sua posição normal e não está afundando, um dos receios das equipes de resgate.

Hoje pela manhã ela já conseguiu contato por telefone via satélite, mas a comunicação estava ruim. A velejadora está tentando fazer o motor funcionar e disse ainda que o barco capotou várias vezes.

O tempo está melhorando e Abby disse que está bem. Ela permanecerá a bordo aguardando o resgate, que deve ocorrer no sábado por uma embarcação de pesca, que está se dirigindo para lá, assim como outros dois navios, mas que só devem chegar à região no domingo.

Site oficial de Abby Sunderland
O Wild Eyes perdeu o mastro mas continua navegando
O Wild Eyes sem o mastro

A restauração do Calypso

junho 10th, 2010 by

O lendário navio do Capitão Jacques-Yves Cousteau vai finalmente voltar ao mar, para abrigar uma exposição em homenagem aos 100 anos do nascimento do explorador, que está sendo organizada na França.

O Calypso foi construído em 1942, em Seattle, nos Estados Unidos para ser um caça-minas. Em 1950 foi adaptado para expedições científicas e passou a fazer parte da “The Cousteau Society“.

Conhecido como a “Mona Lisa dos oceanos“, estava praticamente abandonado desde que afundou, em 1996, após um acidente em Cingapura. Mas agora, sob supervisão da Sociedade Cousteau e da Equipe Cousteau, liderada pela víuva do Capitão, Francine Cousteau, está na França novamente para sua reforma total e completa.

Todas as madeiras utilizadas na reforma são de florestas replantadas, e todo o navio está sendo adaptado as normas atuais de navegação e segurança ambiental. A previsão de conclusão da reforma é 2011.

The Cousteau Society
Chegada do Calypso ao estaleiro para a reforma
A reforma vai ser completa
Mona Lisa dos Mares
Abandonado…
O sino do Calypso, com seu nome de batismo original. Na época, um caça-minas

Velejadora de 16 anos desaparece no oceano Austral

junho 10th, 2010 by

Três países estão buscando maneiras de ajudar Abby Sunderland, californiana de 16 anos, que estava tentando se tornar o(a) mais jovem velejador(a) a circunavegar o globo. Seu EPIRB manual e balizas pessoais de localização foram ativadas no oceano Austral. As autoridades americanas, franceses e australianas de busca e salvamento estão cooperando para encontrar os navios mais próximos da última localização conhecida Abby. Um Airbus da Qantas vai sobrevoar o local para tentar fazer contato via rádio VHF ou telefone por satélite.

O EPIRB com automático para presença de água não soou o alarme ainda, isso indica que pelo menos este EPIRB específico não foi submerso e o barco da garota ainda deve estar à tona. A hipótese mais provável é que Abby esteja machucada ou seu barco esteja avariado e sem condições de navegar. Não é impossível, mas é pouco provável, que ela tenha caído no mar como divulgaram alguns sites internacionais.

Abby estava há 20 dias em sua perna da Cidade do Cabo ao cabo Leeuwin, na ponta sudoeste da Austrália, e sua última posição conhecida era a nordeste do arquipélago de Kerguelen, território sub-antártico da França. Um navio de pesca francês, do arquipélago, foi desviado para a posição, mas não é esperado no ponto do último contato antes de muitas horas.

Abby e equipe sempre souberam que a porção de água depois de passar as Kerguelens, entre 80 e 100º E, é das mais perigosas do planeta, com tempestades tropicais que se deslocam para o sueste e às vezes podem se fundir com uma frente fria, causando um monstro de baixa pressão e mares tenebrosos.

Antes do EPIRB ser disparado, Abby havia capotado várias vezes. A previsão de ventos de 60 nós tinha melhorado, mas os ventos tinham diminuído para cerca de 35 nós com rajadas para lá de 40 nós. E no último contato por telefone (satelital) a moça disse que o mar estava duro.  O barco dela é um Open 40, projetado especificamente para velejar em solitário em altas latitudes. Ele foi escolhido por Abby e seus conselheiros porque tinha a vantagem da velocidade e da segurança necessárias para navegar nas condições que supostamente experimentaria.

Local onda a velejadora fez o último contato – longe de tudo!
Open 40 da velejadora, adaptado para navegação em solitário.
Abby Sunderland
Retirado do blog do Murillo Novaes

Vazamento de petróleo na Bacia de Campos

junho 10th, 2010 by

A Petrobras informou hoje que conseguiu controlar um vazamento de cerca de 1,5 mil litros de óleo em dos campos de exploração de petróleo da companhia na Bacia de Campos, no litoral do Rio de Janeiro. Segundo a estatal, o vazamento foi identificado no início da manhã no entorno da plataforma de processamento P-47, no campo de Marlim, a 160 quilômetros da costa de Macaé, no norte fluminense.

A plataforma é usada como suporte para o tratamento e armazenagem do petróleo extraído das plataformas de produção da Petrobras naquela área. O vazamento teria sido provocado por um problema em um mangote, espécie de tubo flexível que seria usado na transferência de óleo da P-47 para o navio aliviador Cap Jean. Os sinais do óleo no mar foram descobertos pouco antes do início da operação.

“Assim que constatou a ocorrência, a Petrobras acionou o Plano de Emergência para assegurar a máxima proteção às pessoas e ao meio ambiente. Foram mobilizados um helicóptero e quatro embarcações especializadas em recolhimento de óleo. O vazamento foi imediatamente controlado, sem danos às pessoas e às instalações”, diz a nota da empresa, enviada no final da tarde.

A companhia informou ter suspendido a mobilização às 14 horas, quando não havia mais vestígios de óleo no mar. Segundo a empresa, o incidente não chegou a prejudicar a produção na Bacia de Campos.

Uma sindicância foi aberta para apurar as causas do acidente. A estatal notificou a Agência Nacional de Petróleo (ANP), a Marinha e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Fonte: Petrobras

Pois é, não acontece só nos Estados Unidos… Felizmente a reação foi rápida e efetiva.

Há um mês, a explosão de uma plataforma da British Petroleum no Golfo do México, cujo vazamento de óleo de grandes proporções decorrente ainda não foi controlado, e que já é o maior desastre ambiental da América do Norte, chamou a atenção para os riscos da exploração de petróleo no mar e a necessidade de reforço dos mecanismos de segurança das operadoras que exploram o petróleo em nossa costa.

Ilhabela

junho 9th, 2010 by

Não, não estou falando da Ilha de Santa Catarina, que também é bela. Estou falando da Ilha de São Sebastião, no litoral de São Paulo.

Ao contrário da Ilha de Santa Catarina, a Ilhabela é preservada e totalmente voltada ao turismo de qualidade. Tem uma das maiores estruturas náuticas do país, e recebem embarcações do mundo inteiro. A própria Família Schürmann já teve uma base por lá. São muitas marinas e iates clubes, integrados a natureza e a paisagem local.

Possui muitas praias de águas claras e limpas, perfeitas para os mais variados esportes náuticos, como iatismo, mergulho e surf (no trecho voltado para o mar aberto).

Claro que não podemos comparar Florianópolis com Ilhabela, pois são realidades diferentes, em termos de população. Mas muitas características são semelhantes, e com certeza muitas soluções de lá poderiam ser seguidas aqui, com pequenas adaptações. Só basta querer.

Fotos: Ararê
Deck na beira do mar – seria uma ótima solução para esconder as horríveis pedras da Beira-Mar Norte
Deck e trapiche. Para barcos e pescadores – porque não fazer um igual por aqui?
Detalhe do trapiche
Terminal da Petrobrás – navios por perto não atrapalham a beleza nem a fauna marinha do lugar
Barcos em frente a marina – ninguém reclama!
Iate Clube – são vários, assim como as marinas – excelente estrutura náutica
Barcos e praia limpa – sim, é possível!
Mais trapiches, mais barcos, mais turismo – simples
Iate Clube – exemplo de organização e conservação. Podia ser aqui…
Peixes na beira da praia, exemplo de conservação. Aqui já teriam caído em alguma tarrafa, não tem?
Em Ilhabela, os peixes também são uma atração turística. Valem mais vivos do que mortos.

Porque Ilhabela consegue ter tudo isso?

Porque incentiva o turismo de qualidade, não o de quantidade. Apesar de ser muito movimentada, principalmente no verão, seu acesso é limitado e caro, pois é feito através de balsas.

Mas pergunte se alguém por lá quer construir uma ponte. Irão responder: – Claro que não, com uma ponte, vamos virar uma Florianópolis…