Entrar



Archive for novembro, 2010

Fotografia subaquática

novembro 28th, 2010 by

Depois de ver um post sobre esse assunto lá no CONJUMINANDO resolvi colocar umas fotos que achei AQUI (lá tem mais – acesse).

Boa semana a todos!

*As próximas postagens devem ser feitas de Ilhabela, onde a previsão diz que vai chover bastante enquanto eu estiver por lá….

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Florianópolis descarta transporte marítimo, diz prefeito

novembro 27th, 2010 by

Dário Berger acredita que sistema é inviável financeiramente

O prefeito Dário Berger sepultou, sexta-feira, as esperanças de quem sonhava com a implantação do transporte marítimo na Capital. Segundo ele, a falta de retorno financeiro para as empresas que, por ventura, administrassem o serviço, inviabiliza o projeto em Florianópolis.

— Eu, como prefeito, sou obrigado a dizer que ele (o transporte marítimo) não liga nada a lugar nenhum. Ele não se integra ao sistema rodoviário — explicou Dário, em entrevista ao Jornal do Almoço, da RBS TV.

A ideia de ter transporte pelo mar na Capital é antiga — existem estudo há mais de 20 anos —, como mostrou reportagem da Hora na última quarta-feira. Agora, pelo jeito, ela naufragou de vez.

Palhoça segue com projeto

Enquanto Florianópolis praticamente dá adeus ao transporte marítimo, em Palhoça a ideia segue viva.
Na sexta-feira, representantes da prefeitura se reuniram com a direção do Departamento Estadual de Terminais Rodoviários (Deter). O conteúdo da conversa, porém, não foi revelado. A prefeitura promete escolher uma empresa para executar o projeto na próxima semana.

Empresas não teriam retorno financeiro, segundo a prefeitura – Flávio Neves

Fonte: ClicRBS

Parece que o mundo inteiro está errado então. Em qualquer cidade que tenha água a seu redor ou passando no seu interior, existe transporte marítimo, ou pluvial. É incrível a falta de visão desse senhor.

Se ele diz que o transporte marítimo não se integra ao sistema rodoviário, que faça se integrar! Essa é a função dele como prefeito!

Mas essas são as palavras de quem quer construir um metrô de superfície passando pela avenida Beira-Mar Norte e pela ponte Hercílio Luz…

O bom mesmo são as estradas lotadas e cheias de ônibus (essas dão bastante lucro – pra quem mesmo?).

Florianópolis acaba de se tornar a única cidade/ilha do mundo onde o transporte pelo mar não é recomendado pelo prefeito…

Navio-Patrulha “Macau” é incorporado à Marinha do Brasil

novembro 27th, 2010 by

Redação – 26/11/2010


Em construção desde 2007, o Navio-Patrulha “Macau” será incorporado à Armada da Marinha do Brasil, no próximo dia 30, em uma cerimônia no Píer da Indústria Naval do Ceará (INACE), em Fortaleza – CE. O evento contará com a presença do Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto.
Construído pela Indústria Naval do Ceará (INACE), o Navio-Patrulha “Macau” recebeu este nome em homenagem à cidade do litoral potiguar, famosa por suas salinas e pela produção de petróleo. A embarcação teve seu batimento de quilha realizado em 17 de julho de 2007 e é o segundo de uma nova classe de Navios-Patrulha em construção. Utilizou-se o projeto do Navio-Patrulha francês Classe Vigilante 400 CL54, que foi alterado e aperfeiçoado, incorporando desenvolvimentos tecnológicos e melhorias no desempenho do navio.
Sua construção faz parte de um estudo realizado pela Marinha do Brasil, em novembro de 2005, para a construção de uma nova class e de Navios-Patrulha que realiza, prioritariamente,  fiscalização das Águas Jurisdicionais Brasileiras (AJB), atividade de patrulha, inspeção naval e salvaguarda da vida humana no mar, contribuindo para a segurança do tráfego marítimo nacional e defesa dos interesses estratégicos do Brasil.
.
Características do Navio:
Comprimento total……………………………………………………………………………………………55,6 m
Boca máxima……………………………………………………………………………………………………..8,0 m
Calado máximo………………………………………………………………………………………………….2,5 m
Deslocamento……………………………………………………………………………………………………..500 t
Sistema de propulsão…………………………………………………………2 MCP MTU 16V 4000 M90
Geração de energia……………………………………………………….3 Grupos diesel-geradores MTU
Velocidade máxima…………………………………………………………………………………………..21 nós
Raio de ação a 15 nós………………………………………………. ………………………………….2.500 MN
Autonomia………………………………………………………………………………………………………10 dias
.
Armamento:
01 Canhão 40mm L70 (AOS)
02 Metralhadoras 20mm GAM B01-2
Operações Aéreas:
Capacidade de operar com aeronaves em fainas de recebimento de cargas e de pessoal.

Fonte: Portal Naval

Será o fim do Enjôo??

novembro 26th, 2010 by

Só quem já passou por isso sabe: o enjôo no mar é terrível, acaba com qualquer pessoa.

A matéria abaixo está no site da Revista Náutica, e fala de exercícios que prometem acabar de vez com o problema, sem medicamentos.


Ensinamos 14 exercícios que podem ser mais uma arma contra o enjôo no mar

Da Náutica 241

A promessa é empolgante: acabar com o maior estraga prazeres dos passeios de barco, de forma simples e natural, sem os efeitos colaterais que os remédios contra enjôos costumam causar. Segundo alguns médicos especialistas no assunto, bastam alguns exercícios para estimular a parte do labirinto que responde pelo equilíbrio e pronto — adeus enjôo! “O organismo se acostuma de tal forma com os movimentos dos exercícios que os enjôos do mar viram apenas mais um deles e, assim, desaparecem para sempre”, garante a otorrinolaringologista Maria Cristina Cury, professora da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto. A técnica, batizada de “reabilitação vestibular”, consiste em uma série de oito a 12 sessões de exercícios com os olhos, a cabeça e o corpo (como os que reproduzimos abaixo), com movimentos que simulam o balanço do mar. Mas a médica adverte: “Inicialmente, esses exercícios devem ser feitos no consultório de um otoneurologista, para o paciente aprender a fazê-los corretamente em casa depois”.

A terapia faz todo o sentido. O problema de quem enjoa está no labirinto, que é o sensor da nossa cabeça, uma espécie de peça-chave no processo do mal-estar. Uma parte dele é relacionada com o equilíbrio e é responsável por enviar ao cérebro as informações sobre o movimento da cabeça e a velocidade dos movimentos. “Porém, em certas situações, como a bordo de um barco em movimento, os dados sobre o que é visto e o que é sentido tornam-se conflitantes e podem confundir o cérebro”, explica a médica. O resultado dessa confusão de dados é o enjôo. A reabilitação vestibular promete pôr o labirinto no eixo rapidamente. Detalhe: NÁUTICA testou essa técnica e o resultado foi bem animador. Mesmo que não suprima totalmente o mal-estar, dá um alívio e tanto aos enjoados.

1. Com a cabeça fixa, movimente seguidamente, por dez vezes, os olhos para a direita e a esquerda. Depois, repita o exercício erguendo os olhos para cima e para baixo.

2. Com um dos braços estendido para a frente, aproxime e afaste o dedo indicador do nariz, acompanhando o movimento com os olhos. Faça isso até que sinta um ligeiro desconforto, ou seja, quando seu braço começar a perder força e coordenação.

3. Com um dos braços estendidos para a frente, acompanhe com os olhos e a cabeça fixa o dedo indicador (dobrado em 90 graus, para cima), em um movimento que descreva um grande círculo, nos sentidos horário e anti-horário.

4. Movimente a cabeça alternadamente para a direita e para a esquerda, para cima e para baixo. Faça isso o mais rápido que conseguir.

5. Dando uma de malabarista, jogue uma pequena bola de uma mão para a outra, fazendo-a passar por cima da cabeça. O mais importante é acompanhar os movimentos da bola com os olhos.

6. Sentado, jogue uma bolinha para cima, pegando-a com a mesma mão.
Acompanhe o movimento com os olhos. Faça isso 20 vezes. Depois repita o processo, só que, agora, em pé.

7. Novamente de pé, jogue a bolinha na parede e pegue a de volta, sem desgrudar os olhos dela.

8. Sente-se em uma cadeira e coloque seis objetos no chão, de seu lado esquerdo, formando um semicírculo. Depois, abaixe, pegue um objeto com a mão esquerda, levante e passe-o para a mão direita. Depois, repita o processo com o outro lado.

9. Este é o exercício mais simples, porém, o mais cansativo. Sem pressa, sente e levante de uma cadeira por dez vezes seguidas.

10. Fique descalço e ande em linha reta, tomando o cuidado de manter a cabeça erguida e olhando sempre para a frente, como uma modelo na passarela. Faça isso entre três e cinco minutos.

11. Em seguida, sem parar, ande por mais alguns minutos em linha reta, olhando para os lados, alternadamente para a direita e a esquerda.

12. Continue andando em linha reta, só que agora olhando para cima e para baixo, alternadamente.

13. De pé, levante um dos joelhos e passe uma bolinha por baixo da coxa. Repita o movimento, com o lado oposto.

14. Suba e desça os degraus de uma escada. Depois, faça a mesma coisa com os olhos, porém, tomando o cuidado de incumbir alguém de lhe observar, para não cair.

Como limpar seu equipamento fotográfico

novembro 26th, 2010 by

Com o verão chegando, todos querem aproveitar e registrar ao máximo todos os momentos. Com as câmeras digitais, ficou muito fácil.

Mas é importante saber como limpar e conservar o equipamento depois do uso, principalmente nas regiões litorâneas, devido a maresia e areia.

Isso vale para as máquinas profissionais ou semi-profissionais, com lentes intercambiáveis ou uma simples compacta. Vale também para equipamentos de vídeo (filmadoras).

Claro que o ideal é não levar as máquinas para a beira do mar, ou nesse caso, usar “caixas” protetoras.

O tutorial a seguir foi feito pelo fotógrafo Leo Terra, e está disponível no Mundo Fotográfico, onde tem tudo sobre fotografia! Ele foi escrito para as câmeras DSLR, mas valem para qualquer uma.

Boas fotos!

Câmera DSLR

.

Câmera Compacta

.

Como limpar seu equipamento fotográfico.

Essa é uma pergunta bem freqüente no meio da fotografia, é comum que as pessoas tenham dúvida de como proceder durante a limpeza de seus equipamentos, para que a mesma seja feita com segurança e com efetividade.

Limpando o corpo.
O que é preciso: Paninho não abrasivo, de preferência que não solte fiapos (nunca usado para outros tipos de limpeza).
O Corpo da câmera pode ser limpo com um paninho úmido (entende-se por úmido um pano que ao ser espremido não libere uma gota sequer de água) ou completamente seco. Faça fricções leves com o paninho sobre o corpo da câmera, removendo possíveis marcas de gordura, esse procedimento também pode ser usado para limpeza do LCD de câmeras digitais.

Não devem ser usados produtos químicos, como álcool (de nenhum tipo), removedores, detergentes e querosene, os mesmos podem danificar a pintura do corpo e em alguns casos até gerar a corrosão do material do corpo da câmera. Nunca toque a cortina da câmera, isso pode gerar graves danos ao equipamento.

Limpando as lentes.
O que é preciso: Pincel de Blush (Nunca usado para maquiagem) e Flanela especial para óculos (que não soltam partículas, é importante que seja o material flanelado e não os sintéticos lisos e que nunca tenham sido usados em outro tipo de limpeza).
A Lente é de longe a parte mais delicada de uma câmera, para limpá-la você deve em primeiro lugar pincelar a lente com o pincel de blush, removendo assim as partículas maiores. Terminada a remoção das partículas maiores você deve friccionar delicadamente a lente com o paninho flanelado SECO, fazendo movimentos circulares e suaves, até que toda a sujeira tenha sido removida, concluída essa parte da limpeza você pode passar novamente o pincel para remover eventuais partículas que possam se soltar do paninho.

Não devem ser usados produtos químicos ou água no procedimento de limpeza das lentes, o material usado no revestimento das lentes é muito delicado e em alguns casos orgânicos, o uso de solventes orgânicos pode prejudicar o revestimento, assim como o uso de álcool (mesmo o isopropílico) pode causar micro-fissuras no revestimento da lente devido à rápida evaporação. O Uso de água também é desaconselhável, pois deixa resíduos de sais sobre a lente, ou seja, use apenas pano SECO, caso não seja possível resolver dessa forma leve até uma assistência, pois eles possuem a lista de solventes que podem ser usados em cada tipo de superfície.

Limpando o CCD:
O que é preciso: Pincel de blush (Nunca usado para maquiagem).
Existe uma mística sobre a limpeza do CCD, porém a superfície do CCD é na verdade uma lente ou um filtro e em muitos casos seu revestimento é até menos delicado do que o de boas lentes. O grande problema do CCD é que recuado ao lado dele fica a cortina, que é um elemento extremamente delicado.
Como a maior parte da sujeira no CCD é formada de partículas grandes de poeira a simples passada de um pincel de blush pode resolver completamente o problema. Você também pode friccionar o pincel em um pano antes de passa-lo no CCD de forma a eletrizar as cerdas do pincel e capturar partículas menores de poeira.

Não use ar comprimido e líquidos, evite também usar os dedos para friccionar algum tipo de pano sobre a superfície do CCD, o ar comprimido pode entrar com muita violência, empenando a cortina, enquanto líquidos podem se infiltrar ou agredir a superfície ótica do CCD causando sérios danos, já seus dedos, podem tocar com força excessiva as bordas da cortina empenando-a. Caso o pincel não resolva o problema encaminhe a câmera até uma assistência técnica para efetuar a limpeza, na assistência técnica eles possuem treinamento e equipamentos adequados para efetuar a limpeza sem gerar danos à cortina da câmera, sendo que o preço do serviço é razoável e o serviço é feito normalmente no mesmo dia. Nunca toque a cortina da câmera, isso pode gerar graves danos ao equipamento.

Autor: Leo Terra
Autor dos cursos da Teia do Conhecimento
Disponível no Mundo Fotográfico

PS: Caso tenha interesse em republicar em outros sites favor manter as 3 linhas de créditos acima, inclusive com os links.

Sea Shepherd levará a Whale Wars para as Ilhas Faroé

novembro 24th, 2010 by

A Sea Shepherd Conservation Society retornará para o protetorado dinamarquês das Ilhas Faroé no verão de 2011, com um plano para deter o massacre terrível de milhares de baleias-piloto.

news_101109_1_1_historical_faeroes_kids_wading_in_blood

“O que fazem nas Ilhas Faroé ainda é mais cruel do que a matança de golfinhos em Taiji, no Japão”, afirmou Steve Roest, Diretor Executivo da Sea Shepherd. “A campanha que a Sea Shepherd começou em Taiji levou à produção do filme vencedor do Oscar, ‘The Cove’. Precisamos dar atenção semelhante sobre o que acontece nas Ilhas Faroé”.

O fundador e presidente da Sea Shepherd, o Capitão Paul Watson, levará um navio e sua tripulação para as Ilhas Faroé com uma nova abordagem tecnológica, para interferir no massacre que os moradores das ilhas chamam de “A Trituração”.

Durante o verão de 2010, a Sea Shepherd e a Fundação Brigitte Bardot realizaram uma experiência nas Ilhas Faroé utilizando dispositivos acústicos para manter as baleias-piloto fora da costa das ilhas. Os dispositivos trouxeram resultados positivos e a Sea Shepherd irá implantar uma cortina de dispositivos entre as baleias e seus assassinos nas ilhas, em 2011.

news_101109_1_3_current_day_100719_(PH1520)A Sea Shepherd também levará câmeras para as Ilhas Faroé para documentar o conflito para a televisão. “Teremos tripulação nas praias, na água, debaixo d’água e no ar”, disse o Capitão Paul Watson. “É hora de divulgarmos este espetáculo horroroso para o mundo  uma vez por todas. Matar baleias é uma violação da Convenção de Berna e a Dinamarca tem de ser punida. Se os moradores das ilhas desfrutam dos benefícios da União Europeia, eles precisam respeitar as leis da União Europeia”.

Atualmente, os moradores da ilha alegam isenção das leis europeias, porque são um protetorado da Dinamarca, ainda que recebam todos os benefícios da União Europeia.

“Desafiamos a Marinha dinamarquesa a nos parar, porque se eles intervirem para nos impedir de fazermos cumprir a Convenção de Berna, acusaremos a Dinamarca de não cumprir com as leis europeias”, disse o Capitão Watson.

A Sea Shepherd tem uma equipe em tempo integral, chamada Cove Guardians, em Taiji, no Japão, em uma campanha de seis meses, para pressionar os japoneses para acabarem com o massacre terrível de milhares de golfinhos.

A campanha do verão de 2011 das Ilhas Faroé será realizada pelos “Guardiões das Ilhas Ferozes”.

“Nós estamos lutando contra o horror da matança de golfinhos em Taiji, no Japão. Somos contra os caçadores de baleias japoneses no Oceano Antártico, e nós estamos lutando contra os caçadores dinamarqueses das ilhas Faroé para acabar com este pesadelo chamado “A Trituração”. Esta é uma luta global contra a resistência às barbáries contra os cetáceos”, disse o Capitão Watson.

news_101109_1_2_historical_PH_IMG_1481

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do ISSB.

Fonte: Sea Shepherd

Em Florianópolis, transporte marítimo está encalhado

novembro 24th, 2010 by

Enquanto Palhoça sonha com novo sistema, Capital amarga frustrações

Luiz Eduardo Schimitt | luiz.schmitt@horasc.com.br

Discutidos há mais de 20 anos, os projetos de implantação de tranporte marítimo na região metropolitana da Capital estão engavetados. Segundo o Deter, só saem do papel com decisão política. Nos últimos dias, a prefeitura de Palhoça deu o primeiro passo para implantação de um sistema de transporte marítimo na cidade.

A proposta virou lei e, dentro de duas semanas, uma empresa poderá ser escolhida para operar os barcos, sem licitação, em caráter emergencial. Se sair do papel, a iniciativa, que ainda depende da autorização de outros órgãos, será uma exceção em uma corrente de projetos frustrados, que até agora naufragaram na região metropolitana da Capital. O motivo, em todos eles, foi semelhante: falta de vontade política.

O abandono do trapiche da Baia Sul, próximo ao CentroSul, hoje utilizado apenas por gaivotas, é uma prova material do descaso. As primeiras ideias surgiram no início da década de 1990. Em 1993, foi aprovada uma lei municipal que criava o transporte coletivo hidroviário na Capital, operado pela iniciativa privada.

No mesmo ano, o Departamento Estadual de Terminais Rodoviários (Deter) homologou a contratação de uma empresa para operar o sistema, que ligava Florianópolis às cidades vizinhas, a partir do trapiche. Porém, por falta de entendimento entre o governo estadual e a empresa, sobre quem iria construir os terminais de embarque e desembarque, o projeto afundou.


Muito dinheiro, pouca ação

Após o episódio, o Deter se empenhou em estudar a viabilidade financeira, econômica e técnica para o sistema na região metropolitana. Em 2002, a proposta eram 11 embarcações, com capacidade para 125 pessoas, com ligações entre Palhoça, São José, Biguaçu e Florianópolis. A infraestrutura seria bancada pelo governo. Porém, a tarifa seria mais cara que a do transporte viário, o que não atraiu a iniciativa privada.

Nos anos seguintes, outro estudo foi feito, agora testando duas linhas, entre a Capital, São José e Biguaçu, com investimento estimado de R$ 35 milhões, incluindo a estrutura necessária. O projeto segue engavetado.

Governo é quem decide
Segundo o diretor de transportes do Deter, Ademir Machado, o assunto “não foi adiante” no órgão. Para Ademir, existe viabilidade para o transporte marítimo, mas falta voltade política. O diretor diz que o transporte rodoviário está muito “estruturado” na região, com 45 empresas e uma frota total superior a 2000 veículos.

– Isso é uma decisão política. Tem que ter parceria público-privada, com subsídio do governo – explica.

O secretário de transportes da Capital, João Batista Nunes, conta que no início deste ano foi montada um grupo de técnicos para elaborar um novo projeto, visando a licitação do tranporte marítimo na cidade. Não tem prazo para conclusão dos trabalhos.

– O projeto do Deter está ultrapassado. Temos que buscar a viabilidade econômica – defende.


Joinville também tentou

Durante seis meses, no ano passado, o JetBus, embarcação para 84 passageiros, foi operada em Joinville, no Norte do estado. A tarifa era R$ 11. O governo do Estado investiu no terminal e passou a operação à empresa JetBus. Mas somente nas marés altas o barco fazia o trajeto até São Franscisco do Sul. A falta de dragagem prejudicou a operação. O problema comprometeu a lucratividade da empresa, que se mudou para Paranaguá (PR).

Gaivotas são as únicas que usufruem do trapiche da Baía Sul – Raquel Heidrich / clicRBS
Fonte: ClicRBS

Abandono

novembro 24th, 2010 by

Mesmo depois de encalhado e abandonado, continua sendo um belo barco. Tirei daqui.


Este, apesar de estar fora da água, está indo pelo mesmo caminho. Tirei daqui.

Imprudência e irresponsabilidade fazem mais uma vítima

novembro 22nd, 2010 by

Menina de 12 anos mata padrasto com jet ski em Goiás, diz polícia

Mulher de 35 anos e criança de 2 anos ficaram feridas no atropelamento.
Acidente ocorreu na tarde deste domingo em Santa Bárbara de Goiás.


Do G1, em São Paulo


Uma menina de 12 anos atropelou e matou o padrasto com um jet ski, na tarde deste domingo (21), em Santa Bárbara de Goiás (GO). Uma mulher de 35 anos e uma criança de 2 anos também foram atropeladas e feridas, segundo a Polícia Civil.

Segundo informações preliminares da investigação, testemunhas teriam dito à polícia que a própria vítima entregou o veículo para a menina dirigir antes do acidente. Ainda de acordo com a polícia, a família estava em uma chácara, que costuma ser locada para eventos. O imóvel, segundo descrição feita por policiais, tem acesso a uma espécie de represa, onde ocorreu o atropelamento.

Nenhum dos familiares das duas vítimas e a criança que dirigia o jet ski foram ouvidos pela polícia. Segundo o cartório da delegacia de Santa Bárbara de Goiás, todos estavam muito abalados com o ocorrido e não conseguiriam prestar depoimento e ajudar na apuração do caso.

A mulher de 35 anos foi levada para o Hospital Municipal de Santa Bárbara de Goiás, onde recebeu cuidados médicos e teve alta. A criança de 2 anos foi levada para o Hospital de Urgências de Goiânia, onde permanece internada em estado estável.

A polícia vai checar a documentação do jet ski e se havia pessoas habilitadas para dirigir o veículo no local.

Fonte: G1

É isso que acontece quando uma pessoa não-habilitada pilota um jet-ski. Uma menina de 12 anos jamais poderia estar no comando de uma embarcação a motor.  Pois possivelmente não possuia conhecimento, técnica e força física para isso. Um jet-ski hoje acelera muito rápido!

Consta, inclusive na NORMAM 3* que a idade mínima para habilitação de Motonauta (o caso do jet-ski) é 18 anos.

Com a chegada do verão essas manchetes com certeza irão se repetir, pois se a fiscalização não é suficiente nas praias e rios, imaginem em uma propiedade particular.

Depois do estrago feito, todos choram. Antes, ninguém pensa na tragédia anunciada.

*1) A idade mínima para prestação de exame para as categorias de amadores será:

– 8 (oito) anos para Veleiros, sob a responsabilidade do pai, tutor ou responsável legal; e
– 18 (dezoito) anos para Motonauta, Arrais-Amador, Mestre-Amador ou Capitão-Amador.

Eike Batista oferece 400 vagas em Programa de Qualificação Profissional em São João da Barra

novembro 19th, 2010 by

O Grupo EBX, do empresário Eike Batista, iniciou ontem, dia 18,as inscrições para o Programa de Qualificação Profissional em São João da Barra. A iniciativa visa capacitar moradores do município para o mercado de trabalho e para as demandas que serão geradas com a construção dos empreendimentos do Grupo EBX que serão instalados no local, como o Superporto do Açu, usina termoelétrica e estaleiro.

O Programa, realizado em parceria com o SENAI, irá disponibilizar 400 vagas em cursos técnicos para soldador eletrodo revertido 4G, pedreiro de alvenaria, carpinteiro de formas de bancada, técnicas de armação para estrutura de concreto e técnicas de execução de alvenaria com blocos cerâmicos.

As inscrições, que são gratuitas, poderão ser realizadas até o dia 22 de novembro nos quatro quiosques instalados em pontos estratégicos de São João da Barra. São eles Cajueiro, Atafona, Açu e centro de São João da Barra.

Para se inscrever, o candidato deve apresentar documento com foto, comprovante de residência e o comprovante de escolaridade. A confirmação com o dia, horário e local em que a prova será aplicada será enviada por Correio a todos os inscritos.

Em cada turma, cinco vagas serão disponibilizadas para filhos de pescadores que preencherem os requisitos necessários.

Informações sobre o Programa podem ser solicitadas pelo endereço eletrônico comunidade@ebx.com.br

Conheça os cursos

O curso para soldador eletrodo revertido 4G terá duração de um mês e meio. No total serão disponibilizadas 140 vagas, divididas em sete turmas. Para se inscrever o morador deverá ter a 6º série concluída ou, pelo menos, cursando. Este profissional estará preparado para executar operações de soldagem em estruturas metálicas, utilizando o processo eletrodo revestido, e atendendo às condições de qualidade, segurança, saúde e preservação ambiental.

Já para o curso de técnicas de execução de alvenaria com blocos cerâmicos serão disponibilizadas 40 vagas, divididas em duas turmas. Com duração de um mês, o requisito para este curso é a 3ª série concluída ou, pelo menos, cursando. O morador que participar deste curso estará apto para execução de alvenaria com blocos cerâmicos.

Para o curso de pedreiro de alvenaria, que terá duração de dois meses e meio, o candidato deverá estar cursando a 4º série. Serão oferecidas 80 vagas, distribuídas em quatro turmas. Os participantes aprenderão a executar serviços com blocos cerâmicos, como elevação de paredes retas, em ângulos, esquadrejamento de ambientes e outros conforme planejamentos e projetos.

O curso de técnicas de armação para estrutura de concreto terá duração de um mês, e será divido em três turmas, com 60 vagas no total. Para este curso é necessária a 4ª série em curso. No curso serão ministradas aulas sobre montagem de armação de aço para execução de estruturas em concreto armado, ferragens para lajes, vigas, pilares e fundações.

Para o curso de carpinteiro de formas de bancada serão disponibilizadas 80 vagas, divididas em quatro turmas. Ele terá duração de duração dois meses e é necessária escolaridade de 4ª série (cursando). No curso o aluno aprenderá a confeccionar formas de madeiras em bancadas para montagem de estruturas em concreto armado, moldagem e escoramentos conforme planejamento e projetos.

Com as informações – Assessoria de Imprensa LLX

Por Rodrigo Cintra

Fonte: Portal Marítimo

* Aqui em SC continuam os cursos de catar mariscos e pedir gorjetas de turistas.