Entrar



Archive for novembro, 2010

Biguaçu tenta captar novos investimentos após transferência do projeto do Estaleiro OSX

novembro 19th, 2010 by

Cidade quer ser referência no setor náutico

Alessandra Ogeda | alessandra.ogeda@diario.com.br

Biguaçu, na Grande Florianópolis, perdeu o estaleiro da OSX para o Rio de Janeiro, mas continua apostando no setor náutico. Na busca por tornar o município uma referência no segmento, a cidade trabalha em três frentes: contribuindo para o plano de gerenciamento costeiro estadual, em projetos de formação técnica e de macrodrenagem do Rio Biguaçu.

Mas, além disso, é preciso enfrentar a insegurança jurídica que afasta investimentos da cidade. Não só megaprojetos como o da OSX. A catarinense Schaefer Yachts quer ampliar seus negócios no município, mas não consegue. Na terça-feira, completou três anos o embargo da construção de uma nova fábrica.

O terreno, às margens do Rio Biguaçu, foi embargado pelo Ibama mesmo tendo uma licença ambiental da Fundação do Meio Ambiente (Fatma). O empresário Márcio Schaefer tentou um acordo com o Ibama por um ano, depois entrou na Justiça e espera, até o final de 2010, uma resolução para o problema.

— Estamos procurando uma alternativa. Eu não gostaria de sair da Grande Florianópolis, porque nasci e cresci aqui — desabafa Schaefer.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação Tecnológica de Biguaçu, João Braz da Silva, comenta que existem empresas de fora do Estado interessadas em se instalar na cidade. Uma delas busca espaço para a construção de estaleiros.

— As negociações estão em fase embrionária, mas o investimento previsto demonstra o potencial que o setor náutico tem na cidade — avalia.

Ele destaca que o município tem mais de seis estaleiros instalados, mas reconhece que é preciso mais organização. Para alterar este quadro, a cidade prevê a revisão do plano diretor para ampliar as áreas industriais.

O gerente de Desenvolvimento Econômico Sustentável da Secretaria de Desenvolvimento Regional da Grande Florianópolis, Alessandro Garbelotto, lembra que está sendo discutido em cada município da região, incluindo Biguaçu, o Plano Estadual de Gerenciamento Costeiro, que prevê áreas adequadas para empreendimentos e atividades que dependem da relação com rios e o mar.

A prefeitura de Biguaçu contribuiu com este debate apresentando locais de interesse náutico para o município, como toda a área navegável do rio que atravessa a cidade. Para Garbelotto, uma legislação mais clara sobre este tema impediria problemas como o vivido pela Schaefer Yachts.

Para o presidente da Fatma, Murilo Flores, a aprovação do Plano Estadual de Gerenciamento Costeiro é “vital” para o desenvolvimento do Estado.

— A criação deste patamar vai tirar da licença ambiental uma competência de juízo de valor que não é dela.

A cidade tem ainda um projeto para macrodrenagem no Rio Biguaçu, com abertura do canal. O processo teria recebido um pronunciamento favorável do Ibama, segundo Silva, mas depende de concessão da Secretaria do Patrimônio da União (SPU).

Márcio Schaefer, da Schaefer Yachts, tem um terreno na cidade, às margens do rio, embargado há três anos – Daniel Conzi

Fonte: ClicRBS

Alimentando tubarões

novembro 18th, 2010 by

Vi esse vídeo e não resisti…

Trailer – Racing Around The World Alone

novembro 18th, 2010 by

Racing Around The World Alone

Racing Around the World Alone’ is the story of the 2008/2009 Vendée Globe race. 30 skippers embark on a quest to be the fastest to sail 27000 miles around the world, non stop, without assistance and alone on 60 foot sailboats. This is one of the most extreme challenges a human being can face. The sailors are alone at sea for months and physical and emotional strength are essential. Growlers (Icebergs), sea mammals, and massive waves are a constant danger. On any day the forces of nature can bring an end to the best sailor’s well made plans. They harness the wind, hope for safe passage over the sea and push hard to win. They are a testament to the audacity of the human spirit.

OSX desiste de instalar o estaleiro em Santa Catarina

novembro 16th, 2010 by

A OSX acaba de anunciar que desistiu de instalar o estaleiro em Santa Catarina. A empresa está comunicando a decisão em fato relevante ao mercado. Pesaram na decisão a oferta do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, de oferecer incentivos para a instalação no Porto de Açu, e a pressão dos ambientalistas que residem na região de Florianópolis.

Leia o fato relevante que a empresa divulgou há pouco na CVM:

OSX BRASIL S.A.

CNPJ N.º 09.112.685/0001-32

Companhia Aberta

FATO RELEVANTE

– OSX anuncia decisão de instalar a Unidade de Construção Naval no Estado do Rio de Janeiro –

Rio de Janeiro, 16 de novembro de 2010 – A OSX Brasil S.A. (“OSX” ou “Companhia”) (Bovespa: OSXB3)

1. A Companhia tomou a decisão de instalar a Unidade de Construção Naval (UCN) de sua subsidiária, OSX Construção Naval S.A., no Complexo Industrial do Porto do Açu, no Município de São João da Barra, Estado do Rio de Janeiro.

2. O Estudo de Impacto Ambiental e o seu respectivo Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) da UCN Açu encontra-se em estágio avançado de análise técnica pelo órgão ambiental competente no Estado do Rio de Janeiro, com expectativa de que sua instalação seja licenciada em abril de 2011.

3. A decisão empresarial da OSX leva em conta as vantagens competitivas da UCN Açu, conforme atestadas com o aprofundamento de seus estudos de engenharia, ambientais, operacionais e técnicos, em atenção aos legítimos interesses da Companhia, de seus acionistas, de seus clientes e das demais partes interessadas envolvidas.

4. A UCN Açu contará com um cais de 2400m (aproximadamente 70% maior do que o previsto para o projeto de Biguaçu), com capacidade de expansão para até 3525m, e possui as mesmas capacidades produtivas originalmente previstas no plano de negócios da Companhia, sem alteração substancial no CAPEX originalmente previsto. A UCN Açu oferece ainda as seguintes vantagens competitivas, dentre outras:

– Possibilidade de significativa expansão de cais, calado e capacidade produtiva;

– Maior espectro de serviços que poderão ser prestados pela UCN Açu, incluindo reparos;

– Sinergias logísticas com os demais empreendimentos em implantação no Açu, destacando-se o Terminal Portuário de Uso Privado do Açu, siderúrgicas, geração de energia termelétrica e pólo metal-mecânico;

– Posição geográfica central entre as principais bacias petrolíferas do País: Campos, Espírito Santo e Santos;

– Condições de solo que possibilitam maior velocidade na construção da UCN Açu;

– Localização no Estado do Rio de Janeiro, principal pólo brasileiro da atuação integrada das indústrias naval e de petróleo e gás;

– Resposta à demanda regional pela geração de novos empregos diretos qualificados, totalizando 10.000 na fase de operação da UCN Açu e 3.500 na fase de construção;

– Resposta à demanda comunitária por grande obra de macro-drenagem em combate a enchentes.

5. O Grupo EBX estuda o desenvolvimento de outros empreendimentos para a propriedade em Biguaçu, reafirmando assim o seu compromisso com o Estado e a população de Santa Catarina.

6. Finalmente, no que se refere às demais unidades de negócio da Companhia, vale mencionar que uma equipe operacional da OSX Serviços Operacionais encontra-se em Cingapura, onde o FPSO OSX-1 está sendo adaptado, dando seguimento às atividades de pré-operação, visando o início da produção no litoral brasileiro em 2011. Por sua vez, a unidade de leasing da Companhia vem tomando as providências pertinentes para a aquisição, construção e/ou customização dos FPSOs OSX-2, OSX-3 e OSX-4, e das WHPs 1 e 2, perfazendo um total de 6 equipamentos de produção em fase de implementação pela Companhia, para a produção de petróleo e gás em águas jurisdicionais brasileiras.

7. A OSX segue trabalhando focada na sua missão de oferecer soluções integradas de equipamentos e serviços para a consolidação das conquistas de produção de petróleo e gás em nosso País.

Rio de Janeiro, 16 de novembro de 2010.

Roberto Monteiro

Diretor Financeiro e de Relações com Investidores

Fonte: Estela Benetti

Ruim para o estado, que vai ficar “a ver navios” mais uma vez… Ou seja, continuamos o “zero” da BR101… Parabéns para o Rio de Janeiro que soube aproveitar a oportunidade que Santa Catarina providenciou..

A manezada vai poder continuar a catar marisco a vontade, encher a Baia Norte de redes de pesca (aonde está o Gerenciamento Costeiro mesmo?) e continuar a atrasar o desenvolvimento da região.

Atualização

novembro 15th, 2010 by

Tem mais algumas atualizações no Blog Ararê – Viagens.

Mar del Plata

Mais um vídeo

novembro 12th, 2010 by

Visão geral da Avenida Beira-Mar e ilhas da baía norte, em Florianópolis.

Passeio pela baía norte, em Florianópolis

novembro 12th, 2010 by

Um vídeo feito em 2008, mostra um pouco da baía norte em Florianópolis.

.

Parecer sobre a instalação do estaleiro do grupo OSX em Biguaçu será finalizado nesta sexta-feira

novembro 12th, 2010 by

Documento será divulgado até quarta-feira pelo presidente do ICMBio

.

O Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBio) Nacional finaliza nesta sexta-feira o parecer sobre a instalação do estaleiro do grupo OSX em Biguaçu, na Grande Florianópolis.

O documento será entregue ao presidente do instituto, Rômulo Mello, que pretende divulgá-lo apenas nesta quarta-feira.

O parecer do ICMBio é importante porque a área pretendida pela empresa do bilionário Eike Batista fica próxima a três unidades de conservação. Ele pode barrar ou não o investimento de R$ 2,5 bilhões na região.

Segundo a assessoria do instituto, Mello viajará neste feriado para a Região Norte do país, onde participará de reuniões das coordenações locais até terça-feira.

Fora do país em uma viagem de férias, o presidente da Fundação do Meio Ambiente (Fatma), Murilo Flores, afirmou que está esperando a divulgação do parecer nesta quarta-feira para seguir o que está sendo indicado pelo ICMBio.

— O documento pode seguir duas alternativas: a de não liberar a instalação (do estaleiro) ou a de fazer a liberação com uma série de restrições. A Fatma vai acatar a alternativa que eles propuserem – disse.

Flores afirmou ainda que está “mantendo distância” sobre o trabalho do instituto para que não surjam questionamentos sobre a “lisura” do processo.

DIÁRIO CATARINESE

Jóia inexplorada

novembro 10th, 2010 by

Do Blog do Moacir Pereira

7 de novembro de 2010

A capital catarinense compreende uma ilha com  424km2.  Na área insular vivem hoje mais de 200 mil pessoas. Apesar das excepcionais belezas naturais e de um contorno geográfico diversificado, rico e único, a Ilha continua de costas para o mar.   Santa Catarina tem hoje uma das mais qualificadas indústrias náuticas do país.  Mas seu magnífico litoral continua sem infra-estrutura.  Aqui são construídas lanchas modernas, com desenhos arrojados, que competem com estrangeiras.  Construídas e até exportadas.  Mas as limitações são absurdas.  Faltam trapiches, deques, marinas, áreas abrigadas.  A rigor, falta quase tudo.

A capital de Cingapura está situada na ilha do mesmo nome. Tinha 500 km2.  Conta com 5 milhões de habitantes.  É uma cidade limpa, moderna, segura, com mobilidade urbana, eficiente transporte coletivo, um dos maiores portos do mundo e recheada de equipamentos náuticos.   A racionalidade da gestão pública é um assombro.  No centro, não há veículos particulares.  Só circulam ônibus, ambulâncias,  policia e táxis.

A Ilha de Santa Catarina tem na Beira Mar Norte sua área mais valorizada.  Está sendo urbanizada.  Surge um novo trapiche.  Vai melhorar.  Mais é muito pouco.  A Prefeitura ficará devendo árvores frondosas e frutíferas, jardins com bancos, deques de madeira e quiosques  em vários trechos e, sobretudo, mais trapiches de madeira.   Milhares de pessoas sairão de seus apartamentos para circular com seus filhos.  Gente simples da periferia poderá desfrutar do novo espaço para suas pescarias de caniço. E, com policiamento, a cidade ficará mais humanizada.  Tudo, dentro das regras da ecologia.  É assim no resto do mundo.

Transporte Marítimo em Palhoça

novembro 10th, 2010 by

Câmara dos Vereadores de Palhoça aprova projeto que institui transporte marítimo na região

.

Sistema contaria com um terminal em Florianópolis


Foi votado na noite desta segunda-feira, na Câmara dos Deputados de Palhoça, O Projeto de Lei N° 462/2010 que institui o sistema de transporte aquaviário de passageiros do Município.

De acordo com o vereador Nazareno Setembrino Martins (DEM) houve apenas um voto contra e do texto original, apenas alguns detalhes geraram discussão, mas não houve alteração no que diz respeito a estrutura do projeto.

Ainda de acordo com o vereador, o projeto deve ser encaminhado amanhã mesmo para o prefeito Ronério Heiderscheidt, para sua sanção.

Após esta etapa, será elaborado um edital de licitação, que reunirá o projeto e a execução da obra. Aberto o edital, haverá de 15 a 20 dias para revelar a empresa vencedora.

O sistema

O sistema funcionaria com oito terminais de embarque e desembarque de passageiros, disponibilizados na Ponte do Imaruim, Centro de palhoça, Barra do Aririú, Praia do Pontal, Praia de Fora, Enseada de Brito, praia do Sonho e Pinheira.

Haveria ainda um ponte em Florianópolis, ligando este sistema à Capital.

A previsão é de que cerca de três mil passageiros utilizem o transporte marítimo fora da temporada. E que uma embarcação diferenciada para cerca de 20 passageiros e com valor diferenciado seria utilizada para turismo.

O valor previsto para a tarifa é de até R$ 9, abaixo do teto do transporte de ônibus.

DIARIO.COM.BR