Entrar



Archive for novembro, 2012

Vídeo da passagem do Furacão Sandy por NY

novembro 2nd, 2012 by


.

Obra de marina prevê vagas para mais de 800 barcos em Itajaí

novembro 1st, 2012 by

Empreendimento teve licitação aberta nesta quarta-feira pelo Porto de Itajaí

Marina do Saco da Fazenda deve ter área de lazer, centro comercial e prédio administrativo

Foto: Marcos Porto / Agencia RBS

.

Os veleiros e embarcações de pesca que colorem o Saco da Fazenda, em Itajaí, terão em breve a companhia de mais de 800 lanchas e iates de passeio. É esta a previsão de vagas no Complexo Náutico e Ambiental, que vai ocupar a área à beira do Itajaí-Açu ao lado do Centreventos.

O edital de licitação para a construção da marina foi assinado nesta quarta-feira pela superintendência do Porto de Itajaí, que detém a posse da área. Se todos os prazos forem cumpridos, a obra será entregue em 2014, e servirá de apoio caso a cidade receba uma nova edição da Volvo Ocean Race.

O investimento previsto em edital é de no mínimo R$ 26 milhões – quase metade do que havia sido anunciado pelo porto quando foi aberta a consulta de manifestação de interesse, no início do ano. A mudança ocorreu porque a manutenção do canal da marina, que na ideia inicial ficaria a cargo da empresa arrendatária, acabou como responsabilidade do porto.

Pelo menos quatro empresas se mostraram interessadas em assumir as obras e a operação do Complexo Náutico e Ambiental antes mesmo do lançamento do edital, segundo o superintendente do Complexo Portuário do Itajaí-Açu, Antônio Ayres dos Santos Junior. Além de pretendentes da região, também houve procura por empresários paulistas e cariocas.

As propostas apresentadas serão abertas no dia 18 de dezembro, quando será conhecida a vencedora. O edital prevê 60 dias para propor um projeto executivo e 18 meses de obra. O prazo de arrendamento é de 25 anos, prorrogáveis por mais 25 – prazo em que a empresa poderá explorar o aluguel das vagas para embarcações de lazer.

Em contrapartida, a arrendatária pagará uma taxa mínima de R$ 26,8 mil por mês ao Porto de Itajaí, mais R$ 9,15 por barco. A expectativa é que sejam gerados dois a três empregos por embarcação, ultrapassando a marca de 1,6 mil trabalhadores diretos. 

Área pública

– A construção da marina vai ser um marco para o desenvolvimento de Itajaí, tanto em relação ao turismo quanto ao polo naval da cidade – diz Eclésio Silva, vice-presidente da Associação Empresarial de Itajaí (ACII).

Além das vagas para embarcações, a marina do Saco da Fazenda deve contar ainda com área de lazer, centro comercial, prédio administrativo e um edifício que servirá de sede para o Núcleo Especial da Polícia Marítima da Polícia Federal (Nepom) – construído pelo porto.

A ocupação da área do Saco da Fazenda deve se restringir a 21%. O restante do espaço seguirá com acesso aberto ao público, segundo informação do Porto de Itajaí.

Parte do espaço ficará reservada para a Associação Náutica de Itajaí (ANI) e a pesca artesanal, que já fazem uso do Saco da Fazenda.

– A ideia é que possamos conviver em harmonia, e que a marina seja uma possiblidade inclusive de mercado de trabalho para nossos alunos – diz o presidente da ANI, Cláudio Copello.

Movimento de embarcações pode afetar aves e peixes

O vaivém dos barcos de passeio pelo Saco da Fazenda poderá ter influência direta nas populações de peixes e pássaros que vivem ou fazem uso do local. No caso das aves marítimas e aquáticas, o professor da Univali Joaquim Olinto Branco, doutor em Ecologia e Zoologia, diz que é provável que muitas espécies se afastem.

– Não que a construção da marina vá afetar as populações, mas é possível que elas busquem outras áreas – diz.

Oceanógrafo e mestre em Geografia, Roberto Wahrlich comenta que, no caso dos peixes – que também fazem uso do Saco da Fazenda como criadouro, a manutenção das espécies dependerá do cumprimento do que está previsto nos estudos de impacto ambiental.

– O processo de construção e operação tem que ser acompanhado. Os problemas podem ser minimizados com procedimentos de segurança – avalia.

Faz parte da implantação do complexo a definição de um plano de manejo para a Área de Proteção Ambiental (APA) do Saco da Fazenda, que existe desde 2008. A instituição do plano, que está em fase de estudos, deve auxiliar na preservação do local.

Registro de lanchas e iates aumenta 15%

A construção da marina do Saco da Fazenda deve ajudar a suprir a demanda por vagas para embarcações na região. Hoje, as marinas existentes em cidades como Balneário Camboriú e Porto Belo têm fila de espera, o que influencia até na atividade dos estaleiros. Sem vagas disponíveis, há clientes que aguardam a liberação de um espaço antes de comprar uma lancha ou iate.

Em Itajaí, as fábricas produzem embarcações de passeio que variam de R$ 42 mil a R$ 2,5 milhões  e o mercado não para de crescer. O número de lanchas e iates registrados junto à Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí aumentou 15% em relação ao ano passado – o mesmo volume de crescimento registrado no Estado.

Para Ewerton Wegner, mestre em Turismo e Hotelaria e professor da Univali, a demanda existe e é grande.

– A marina é um passo muito grande para o desenvolvimento náutico em Itajaí. Mas é preciso que siga um processo rigoroso de licenciamento ambiental. Existem marinas com esse porte pelo mundo que atendem a todas as exigências.

Itajaí presta contas da Volvo Ocean Race

A cerimônia de abertura do edital para licitação do Complexo Náutico e Ambiental do Saco da Fazenda contou também com a prestação de contas da etapa Itajaí da Volvo Ocean Race, que ocorreu em abril. O total de recursos aplicados foi de R$ 15 milhões, entre taxas e obras de infraestrutura. Deste total, 49% dos investimentos foram privados e 51% públicos.

O Comitê Central Organizador da etapa estima que o retorno, em divulgação espontânea na mídia, tenha sido de R$ 82 milhões. Do investimento feito pelo Governo do Estado, que ficou responsável pelo pagamento das taxas do evento, através do Funturismo e do Fundesporte, R$ 123 mil serão devolvidos pelo comitê organizador nos próximos dias.

Durante a prestação de contas – que teve um desabafo do presidente do comitê, Amílcar Gazaniga, reclamando da falta de apoio de parte do empresariado local para a realização da etapa – o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Paulo Bornhausen (PSD), anunciou que recebeu carta branca do governador Raimundo Colombo (PSD) para negociar a realização de duas novas etapas da Volvo Ocean Race em Itajaí.

A definição das próximas paradas da Regata Volta ao Mundo ocorre em dezembro. Entre as cidades que concorrem com Itajaí estão Salvador, Buenos Aires, Montevidéu, Bogotá e Caracas.

Volvo em Itajaí

A etapa reuniu 282 mil visitantes entre 4 e 22 de abril, somente na Vila da Regata. A estimativa é que o público total, contando os espectadores que estavam nos molhes e na Praia da Atalaia, ultrapasse 300 mil.

Durante a Itajaí Stopover, 15 mil passagens aéreas para o evento foram vendidas pelas empresas de aviação. A etapa destacou-se no quesito sustentabilidade, que rendeu a Itajaí um prêmio de reconhecimento. O projeto Itajaí Stopover Sustentável foi inscrito pela Volvo no prêmio International Sport Event Management (gerenciamento de evento esportivo internacional), que terá os vencedores anunciados no dia 7 de novembro, em Londres.

O SOL DIÁRIO

Dagmara Spautz

Caminhão sem freio invade praia de Bombinhas

novembro 1st, 2012 by

Veículo carregado de areia só parou ao chegar no mar

Foto: Corpo de Bombeiros / Divulgação

.

Um caminhão desgovernado invadiu a praia de Bombas, em Bombinhas, na tarde desta quarta-feira. O motorista do veículo, que estava carregado de areia, perdeu o controle enquanto descia o morro de Bombas.

De acordo com os bombeiros, o caminhão invadiu a praia em frente ao restaurante Cezar e só parou ao chegar no mar, por volta das 16h. O motorista, apesar do susto, não se machucou. Por volta das 18h o veículo ainda estava sendo retirado da água.

Fonte: O SOL DIÁRIO