Entrar



Temporada de ciclones no Atlântico

segunda-feira, agosto 30th, 2010 by

Semanas de alto risco no Atlântico

Entre o fim de agosto e o início de outubro, o Atlântico Norte tem o seu período mais propício do ano à formação de ciclones tropicais. Os mais arrasadores ciclones tropicais da região tendem a ocorrer nesta parte do ano. Isso porque as águas do mar vão aquecendo ao longo do verão e atingem o seu pico de aquecimento durante estes meses, além do que tende a ser menor a divergência de vento e circulação de areia no Saara na região. A Zona de Convergência Intertropical também atua mais ao Norte, originando mais ondas tropicais na África que se converterem depois em ciclones tropicais no mar.

A temporada de tempestades até poucos dias era calma, o que já levantava suspeitas sobre os prognósticos de um ano de muitos ciclone tropicais na região, mas na última semana se formaram os ciclones Danielle e Earl no Atlântico Norte.

Danielle atingiu até categoria 4 na escala Saffir-Simpson dos furacões que vai até 5 com vento de 200 a 250 km/h, mas o ciclone está no meio do Atlântico e vai recurvar sem oferecer risco. Já Earl preocupa mais. Tende a se intensificar, deve afetar as Ilhas Virgens e Porto Rico e, segundo os modelos, deve se aproximar perigosamente da costa americana. Veja as projeções do modelo de furacões GFDL para os dois sistemas.

Hoje, 29 de agosto, é o quinto aniversário da chegada do Katrina à costa da Lousiana. Na análise da MetSul, é alto o risco que nas próximas semanas um furacão muito intenso (categorias 4 ou 5 na escala Saffir-Simpson) possa atingir áreas do Caribe ou dos Estados Unidos. O significativo aquecimento deste verão de 2010 no Hemisfério Norte gerou enorme energia na atmosfera e que pode ser liberada nas próximas semanas seja por um furacão extremo ou por vários furacões, inclusive intensos, não se descartando as duas hipóteses no Atlântico Norte. Uma onda tropical que avançou da África e que agora está sobre o Atlântico (Invest 97L) é uma candidata a gerar um ciclone intenso, que seria Fiona. A maioria dos modelos, no momento, também recurva esta tempestade sem levar maior perigo para áreas costeiras.

Apesar destes indicativos dos modelos, enxergo um potencial de alto risco em Fiona. O caminho que a onda tropical está percorrendo, é muito favorável a acentuado desenvolvimento. Aliás, o modelo Europeu projeta que ao redor do dia 6 de setembro (projeção sujeita, claro, à grande margem de erro) Fiona estaria atingindo a Flórida como um furacão intenso.

As próximas semanas serão de alto risco no Atlântico Norte. Considero a segunda metade de setembro e outubro um período muito perigoso por analogia para a América Central. Um dos análogos deste ano é 1998 e naquela temporada de 12 anos atrás ocorreu o furacão Mitch que arrasou a América Central com inundações, deslizamentos e milhares de mortos.


Autor: Eugenio Hackbart
Publicado em 29/08/2010 06:42

Fonte: Blog da Metsul

One Response to “Temporada de ciclones no Atlântico”

  1. Miguel Sanchis disse:

    E a gente se queixa do Rebojo e do Nordestão….