Entrar



Plataforma de petróleo vira resort

quarta-feira, outubro 20th, 2010 by

Plataforma desativada pode reabrir, como resort

Novo uso para locais pode beneficiar até petrolíferas, diz escritório

Quando termina a exploração de um poço de petróleo no mar, a plataforma é desativada e por ali fica, incrustada e sem função no meio da água. Há algum tempo, elas eram afundadas, o que, como se pode imaginar, enfurecia os ambientalistas – quando a Shell decidiu afundar sua plataforma Brent Spar, em 1995, ativistas do Greenpeace ocuparam (ou invadiram, dependendo de que lado você estiver) o lugar. Mas tudo isso talvez sejam águas profundas passadas.

Na Malásia, uma solução foi encontrada para dar utilidade a esses gigantes metálicos, impedindo que eles fiquem sem manutenção e sejam esquecidos. Na região de Bornéu, uma plataforma de petróleo desativada virou um luxuoso hotel.

O Seaventures Dive Resort tem um curioso mix de hotel e cruzeiro: oferece quartos confortáveis, serve refeições, possui atividades de lazer e apresentações musicais em pleno mar, mas é estático. Semelhante a um navio de pesca suspenso e pintado com cores vibrantes – laranja, amarelo e azul –, ele tem como diferencial estar localizado em um dos melhores pontos do mundo para a prática de mergulho e oferece esse serviço, com instrutores ou, para os marinheiros de primeira viagem, utilizando um elevador.

Como a região é apropriada para essa atividade, o hotel também oferece aulas em inglês, espanhol, francês, cantonês, malaio e mandarim para aqueles que pretendem se tornar instrutor de mergulho. Para os hóspedes, é possível explorar as profundezas marinhas, seus corais, espécies de tartarugas e peixes, várias vezes por dia e até durante a noite.

Balanço das plataformas

Se a ideia vingar, pode ser uma boa até além da Malásia. Segundo o escritório Morris Architects, até o final deste século, cerca de 4 mil plataformas de petróleo serão desativadas, o que pode ser obstáculo até para as empresas do setor, uma vez que elas terão de desmontar a estrutura e dar um fim a cada plataforma.

Para se ter ideia do que isso representa, basta dizer que a estimativa do parágrafo anterior diz respeito somente ao número de plataformas no Golfo do México, região conhecida pelo problema com a explosão e subseqüente vazamento de óleo neste ano. Iniciativas semelhantes à do Seaventures Dive Resort podem ajudar a resolver o problema do que fazer com os trambolhos, propõe o escritório.

Andrés Bruzzone Comunicação

Fonte: Terra

Comments are closed.