Entrar



Tá, e o turismo?

sábado, dezembro 18th, 2010 by

Publicado em 01/11/2010 no site da ACATMAR


O @ernesto_floripa, que é sambista de uma nota só (no bom sentido), tá cobrando, no tuíter, que eu mande uma cartinha pro CGC (Caro governador Colombo), falando do turismo.

Ora, o Colombo, que é de Lages, certamente sabe que, durante muito tempo, todas as araucárias daquela região desciam a serra em caminhões articulados, para serem embarcadas para o mundo no porto que existia logo ali, embaixo da ponte Hercílio Luz.

Portanto, isso de navegar no canal da baía norte, não deve ser novidade pro governador. E a possibilidade de que essa ilha-capital receba, em bons e adequados trapiches oceânicos, os grandes navios de turismo, também não deve ser alguma coisa estranha ao lageano bonachão que os catarinenses elegeram para substituir o joinvilense esquisitão.

O turismo, em Santa Catarina,é mais do que um programa de governo ou um projeto administrativo: é uma vocação. O governo só precisa cuidar para treinar a mão de obra, puxar as orelhas dos maus comerciantes e mostrar, aos prefeitos, que eles lucram mais tratando bem o turista, do que assaltando os visitantes.

O turismo, como alguns já sabem, é atividade de longo prazo. O lucro não está no que conseguimos arrancar hoje do turista, mas nos turistas que conseguimos fazer que voltem no ano que vem e no ano seguinte. E para isso, é preciso ter mão de obra especializada, empresários com os pés no chão e governo esperto. No bom sentido.

Tem muita gente que já sabe lidar com os turistas, em SC. E tem muito turista que volta sempre, porque é bem tratado. Só precisamos fazer com que aquela turma que não tem noção, também aprenda a trabalhar e que a maioria dos turistas volte. Para isso, o governo não pode fazer que não vê. Nem pode fazer que não é com ele.

O nativo que ainda sonha com a Florianópolis dos anos 50 e 60, precisa acordar: aquela cidade acabou, O tempo passou e hoje a realidade é outra. A maioria dos novos habitantes da capital e arredores nem sabe quem foi o Lagartixa, ou o Avevu e Miramar, pra eles, é expressão de argentino.

Mas ainda é possível garantir uma certa qualidade de vida. Mesmo numa cidade turística, que atrai gente de todos os continentes. Basta eleger, para administar a cidade e o estado, pessoas com alguma formação humanística, alguma cultura geral, que entendam que o turismo gosta de coisas autênticas, de coisas originais e despreza modernismos, concreto e prédios altos ocupando todos os espaços.

Ah, e que, numa ilha, é importante poder chegar e sair pelo mar. Passear de barco. Visitar de navio. E, nos restaurantes, ver o mar.

Numa ilha em que todos os restaurantes estão de costas para o mar, onde tem à beira-mar (em Jurerê) uma churrascaria !!!, e onde é impossível atracar um navio, certamente há muito o que fazer. Mas tenho certeza que o novo governador, se quiser, poderá mostrar que o fato de ser lageano não atrapalhará em nada o modo como ajudará Florianópolis a florescer.

One Response to “Tá, e o turismo?”

  1. fernando disse:

    É impressionante como Florianópolis ficou de costas para o Turismo Náutico.
    Conheço a cidade ha mais de 30 anos e não há trapiches, marinas ou locais que possam abrigar embarcações com segurança. O Uruguay, em seu litoral, possui várias marinas e iates clubes.
    Abs