Entrar



Santa Catarina quer chegar ao topo do ranking nacional em produção de embarcações de luxo

quarta-feira, junho 22nd, 2011 by

Itajaí lidera o ranking de cidades com o maior número de estaleiros em SC: são 12 no total

Contando com um programa de incentivos fiscais específico para atrair empresas do setor, o Pró-Náutica, e com projetos de polos náuticos em diferentes municípios, Santa Catarina busca ganhar posições no ranking nacional de embarcações de luxo. Joinville, Itajaí e Palhoça se destacam nos novos investimentos — que somados, podem chegar a R$ 520 milhões. Além delas, Biguaçu lança na quinta-feira o projeto de um pólo náutico para o município.

A Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e seus Implementos (Acobar) estima que SC ocupe a terceira posição na produção de barcos de esporte e lazer, o mercado de luxo que teria São Paulo e o Rio de Janeiro na liderança. Mas segundo estimativas da Associação Catarinense de Marinas, Garagens Náuticas e Afins (Acatmar), SC já poderia estar ocupando a segunda posição no ranking nacional com o avanço do setor nos últimos anos.

— Estamos atrás apenas do Rio de Janeiro, muito próximos do primeiro lugar. Nos últimos dois anos, muitos estaleiros novos abriram no Estado, mas alguns também fecharam. O setor cresce 20% por ano — revela Leandro Ferrari, presidente da Acatmar.

Segundo dados da Secretaria de Estado da Fazenda, Itajaí lidera o ranking de cidades com o maior número de estaleiros em SC: são 12 no total. Mas estão incluídas nesta lista as indústrias que produzem embarcações de pequeno e grande porte para uso comercial — como os barcos utilizados para pesca e ferry boats. Se consideradas apenas as indústrias que produzem embarcações para esporte e lazer, Palhoça lidera a lista com 10 estaleiros (veja detalhes na arte) — de um total de 34.

A confirmação do estaleiro da OSX, de Eike Batista, no Rio de Janeiro, não tirou de Biguaçu a vontade de estabelecer um pólo náutico no município. Integra o plano estratégico de fomento do setor na cidade a criação do primeiro cluster (conglomerado de empresas) náutico planejado em conjunto pela iniciativa pública e privada.

A proposta do pólo náutico será lançada amanhã, na abertura da 3ª Exponáutica. A primeira etapa do projeto, que prevê um diagnóstico do setor náutico e a relação que ele tem com a cidade, também será promovida durante a feira. O projeto de desenvolvimento do primeiro cluster náutico de Biguaçu foi acelerado após a visita do grupo italiano Aicon Yachts ao município no início deste mês.

— Na ocasião eles nos disseram que seria interessante se o município tivesse uma área construída de 20 mil metros quadrados em um terreno com área de pelo menos 50 mil metros quadrados, porque esta opção serviria para eles e para outros estaleiros — conta o procurador-geral de Biguaçu, Anderson Nazário.

A partir daí, a prefeitura se mobilizou para encontrar uma área adequada e trabalhou em um projeto, junto com o proprietário do terreno. A vantagem da propriedade é que ela tem espaço para a implantação de outras empresas ligadas à fabricação de iates.

De acordo com o secretário municipal de Planejamento e Gestão, Antônio Felipe Asmuz Pereira, a política de atração de empresas para a consolidação da cidade como pólo náutico envolve ainda o plano de gerenciamento costeiro municipal e uma revisão no plano diretor.

— Temos ainda uma área rural bastante grande que pode comportar, gradualmente e de forma planejada, a expansão da área urbana, ampliando as áreas que podem comportar investimentos industrias e logísticos.

Pelos cálculos do secretário de Planejamento, atualmente 90% das empresas e moradores de Biguaçu estão concentrados em uma área que corresponde a 8% do território municipal. No mesmo período da Exponáutica, será promovido o Festival Náutico de Itajaí com eventos esportivos e exposição de embarcações.


Alessandra Ogeda | alessandra.ogeda@diario.com.br
Fonte: ClicRBS

Comments are closed.